Victor Mendes destaca crise política em Serrano do Maranhão

A crise política no município de Serrano do Maranhão, cujo prefeito Vagner Pereira, o Banga, foi preso sexta-feira (19) em Cururupu pela Polícia Federal, acusado de sacar recursos da Prefeitura, foi destacada na sessão desta segunda-feira (22) na Assembléia Legislativa pelo deputado Victor Mendes (PV). Ele lembrou que Banga era vice-prefeito de Leocádio Rodrigues, que foi cassado pela Justiça Eleitoral também por ter cometido irregularidades no exercício do cargo. E anunciou que provocará o Ministério Público, propondo uma intervenção no município.

“O município tem cerca de 10 mil habitantes, é um dos mais pobres do país e o seu atual prefeito – que era vice de outro já cassado – está despachando da cadeia. Os dois estão sem poder representar o município. Eles perderam totalmente a legitimidade perante a população de Serrano do Maranhão”, ressaltou Victor Mendes.

O deputado lamentou que o fato de o atual prefeito ter sido flagrado sacando dinheiro público na boca do caixa não repercutiu na mídia nacional. “O senhor Vagner portava um cheque avulso no valor de 10 mil reais, referentes aos recursos do programa do Piso de Atenção Básica, destinado a procedimentos e ações de assistência básica tipicamente municipal. Os municípios recebem pelo PAB entre dez e dezoito reais por habitante”, informou ele, acrescentando que os policiais federais também prenderam o irmão do prefeito, Elton Pereira, e outras duas pessoas que o acompanhavam no banco.

Ainda de acordo com Victor Mendes, a operação que resultou na prisão de Vagner Pereira foi feita por agentes da unidade de combate a desvios de verbas públicas, comandada pelo delegado Pedro Meireles, em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU), que estava investigando esses saques na Prefeitura de Serrano do Maranhão.

“Ele assumiu o cargo de prefeito em decorrência da decisão da justiça de Cururupu, que afastou Leocádio Rodrigues por desvios de três milhões de reais na Prefeitura de Serrano. É um município pobre que não tem condições de sustentar esse prejuízo ao erário público”, enfatizou Victor Mendes, acrescentando que o presidente da Câmara de Vereadores, que pode assumir o cargo, terá quarta-feira uma audiência na justiça comum de Cururupu para esclarecer indícios da existência de funcionários fantasmas na sua administração, correndo o risco de ser cassado.

“O prefeito está cassado, o vice está preso e o presidente da Câmara está respondendo a processo em um dos municípios mais pobres do nosso estado, mal administrado pelas suas gestões. Por isso vou entrar com uma representação ao Ministério Público, uma provocação formal ao Ministério Público do Maranhão, na figura da sua procuradora geral, para começar a se estudar a intervenção estadual em Serrano. É a via mais eficaz, urgente e necessária para minimizar o problema do município”, finalizou.

Ele justificou a medida argumentando que pessoas pobres e humildes de Serrano vão sofrer ainda mais por conta de atos de políticos que não têm compromisso com a gestão municipal e com o povo. Esse é o pior da sua história política, é de crise total: prefeito, vice-prefeito, presidente da Câmara, todos cassados, presos e outro respondendo a processos por irregularidades. Não se pode admitir que a população pague por isso”, concluiu.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.