Governo estimula integração das vigilâncias sanitária, ambiental e saúde do trabalhador

Agentes, técnicos, controle social e gestores de saúde participam, até a sexta-feira (6), no Rio Poty Hotel, do I Seminário Integrado de Vigilância Sanitária, Ambiental e Saúde do Trabalhador. Promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o evento teve início nesta quarta-feira (4) com o tema “Ações de intersetorialidade das vigilâncias na promoção da saúde e prevenção dos riscos sanitários”.

O principal objetivo é sensibilizar e fomentar que as vigilâncias em saúde – sanitária, ambiental e saúde do trabalhador – nos municípios atuem de forma integrada, favorecendo a efetividade das políticas públicas e economia dos gastos públicos.

Segundo o secretário adjunto da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa, as vigilâncias em saúde foram construídas historicamente como políticas isoladas.  “Hoje, na Secretaria de Estado da Saúde já trabalhamos bastante integrados. Esse seminário vem para mostrar aos municípios e à sociedade os resultados efetivos disso. A integração cria nas diversas vigilâncias em saúde uma responsabilidade conjunta, reduzindo os danos à saúde e a incidência de doenças”, explicou Marcelo Rosa.

O superintendente de Vigilância Sanitária da SES, Edmilson Diniz, que também coordena as áreas ambiental e de saúde do trabalhador, relata que na SES as três vigilâncias já realizam o planejamento de forma coordenada. Dentre os resultados, ele aponta a ampliação das ações da vigilância ambiental, com a descentralização dessas ações para mais 22 municípios, além dos 85 já existentes; saúde do trabalhador integrado entre Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) estadual e os municipais.

“Nosso alcance foi muito mais eficiente em 2017, após o planejamento integrado de ações. Os municípios também melhoraram suas ações a partir das nossas ações educativas. Ampliamos o número de capacitações, fazendo com saíssemos de 62 municípios com recursos bloqueados para apenas 35no final do ano”, elencou.

Participando do evento, o presidente do Conselho Municipal de Saúde de Balsas, Frederico Brito, salientou a importância das discussões levantadas no seminário. “É muito importante a integralidade dessas três vigilâncias. Isso vai melhorar a qualidade de vida do nosso povo. O impacto é positivo, vai otimizar os recursos e favorecer as políticas serem implementadas. Está muito rico o conteúdo”, disse.

A metodologia implantada no estado despertou, inclusive, o interesse de gestores de outros estados. Participam também do seminário representantes do Piauí, Paraíba, Bahia, Amazonas e Rio de Janeiro.

“Gostaria de parabenizar a Secretaria de Estado da Saúde pela importância de um seminário como este, que traz como debate a integralidade, porque mostra a articulação entre todas as vigilâncias. O seminário trouxe o processo de trabalho executado pelos profissionais, avaliando e gerenciando o risco em cada situação, promovendo uma condição essencial para a população”, destacou a diretora da Vigilância Sanitária Estadual do Piauí, Tatiana Vieira Chaves.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.