Análise: Pedro e Gabigol enfim se completam e Flamengo embala com Dorival

Nas mãos de Dorival, a água virou vinho. E o Flamengo se reencontrou com seu melhor nível para selar a classificação às quartas de final da Libertadores, no Maracanã, com atuação de gala de Pedro, que marcou quatro na goleada de 7 a 1 e enfim se completou com Gabigol. A fragilidade defensiva do Tolima contribuiu para a festa, sob os olhares animados de Arturo Vidal. O novo reforço da equipe, que chegou ao Rio nesta quarta-feira, assistiu de camarote à bela apresentação do centroavante e de todo o quarteto ofensivo. O chileno estará disponível para o jogo contra o Corinthians, adversário da próxima fase e de domingo, pelo Brasileiro.

Esta foi a maior goleada do clube no século XXI junto aos jogos contra Bahia (2003) e ABC (2021) vencidos por 6 a 0. O atacante Pedro também é histórica, pois ele se torna o primeiro jogador do Flamengo a marcar quatro gols em um único jogo de Libertadores. Ao chegar a sua quarta vitória seguida sob o comando do novo treinador, o Flamengo amadureceu como equipe e viu as individualidades se sobressaírem outra vez. Pedro, novamente titular, ao lado de Gabigol, foi o grande protagonista, e agora artilheiro da equipe e da competição, com sete gols. Mas o domínio rubro-negro passou muito também pela inteligência de Éverton Ribeiro e Arrascaeta — em grande noite após terem sido preservados —, e ótima movimentação de Gabigol, que deixou sua marca e jogou de forma solidária ao seu companheiro de ataque. Quiñones, contra, e Matheus França, completaram o placar.

Lado direito define jogo

Os primeiros 25 minutos do Flamengo foram os melhores em muito tempo. Um jogo de alta intensidade, pressão sobre a defesa adversária, marcação ajustada e muitas finalizações. A opção tática de Dorival foi dar preferência aos avanços pelo lado direito. Com Rodinei livre para apoiar, a trama se concentrou por ali, onde se alternavam Arrascaeta, Éverton e Gabriel. Da lateral o time criava e finalizava do lado oposto. No primeiro gol, foi o uruguaio quem abriu para a infiltração de Pedro.

O centroavante voltou a ser excelente alternativa para um jogo com espaços. Deu opção na bola longa, profundidade pelo corredor central para receber em pivô e no facão, além do jogo aéreo. A trama do segundo gol teve a participação do quarteto. De pé em pé, Ribeiro, Arrascaeta, Pedro e Gabi construíram até a finalização do camisa nove, desviada no rebote em direção ao gol pelo zagueiro do Tolima. Depois, praticamente só deu Pedro. O time diminuiu a intensidade no fim do primeiro tempo, mas acelerou novamente na etapa final. O artilheiro da noite marcou mais duas vezes, intercalado pelo gol de Gabriel. Em todas as jogadas de contra-ataque, a dupla teve participação vindo de trás, e contando com apoio de Arrascaeta abrindo espaço para o camisa nove, e de Rodinei, em linda jogada no fundo, antes de assistência para Pedro.

Éverton Ribeiro, que quase deixou o dele antes de sair em meio a uma série de substituições, foi o motor e cérebro da equipe, tanto fase ofensiva, quanto na defensiva, em transições em velocidade explicadas pela dosagem da sua utilização. Preservados recentemente, ele e Arrascaeta deram outro ritmo ao Flamengo. O uruguaio, que em seguida também descansou alguns minutos, conseguiu fazer o que faz de melhor, ao criar os espaços aparecendo nas costas dos volantes, entre as linhas. Acelerando e desacelerando no momento certo. E com precisão nas bolas paradas.

Com suas estrelas em noite iluminada, a temporada começa a ganhar as cores vermelho e preto. A mudança de ares passa também pelo trabalho de Dorival Jr, que chegou com o intuito de recuperar os jogadores do atual elenco e dar oportunidades a nomes como Pedro. Recuperou não só ele, como David Luiz, Léo Pereira, etc. O time aumento seu nível de confiança e entregou desempenho.

Fonte: Yahoo!

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.