Vagas ociosas da UFMA são motivo de protesto no Bacanga

Estudantes suspeitam de fraude no processo de seleção

SÃO LUÍS – Estudantes que se inscreveram na lista de vagas ociosas para o curso de Medicina na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) estão protestando em frente ao campus do Bacanga. Segundo uma nota de repúdio enviada ao imirante.com, 79 alunos afirmam que houve fraude no processo de seleção.

Os protestantes afirmam que foram aprovados, fizeram as matrículas no curso e, posteriormente, as matrículas foram canceladas pela universidade.

Segundo a nota, já foi solicitado, pelo Ministério Público Federal, que a universidade realize um processo transparente em relação às vagas, o que não estaria sendo cumprido pela UFMA.

“Para tornar transparente e disponível o número de vagas, a UFMA publicou dois editais de vagas ociosas em 28/08/2016, um para os cursos gerais (Edital nº 183/2016) – leia-se TODOS OS CURSOS, exceto medicina – e outro específico apenas para Medicina (Edital nº 184/2016)! Isso jamais poderia ocorrer, pois todos os cursos da UFMA deveriam ser tratados com isonomia, igualdade e em apenas um edital.

A UFMA contrariou a própria resolução interna que versa sobre os cursos de graduação, Resolução Consepe nº 1175. A diferença nesses dois editais foi a seguinte: a UFMA criou a bel prazer uma segunda etapa para o edital de medicina, exigindo a correspondência de absurdos 75% do curso de origem que seriam analisados por uma banca examinadora de professores, cujos nomes não foram divulgados e pasmem, teve esposa de professor que foi aprovada nessa etapa obscura, ora, como é que os cursos de Enfermagem, Odontologia, Ed. Física, Farmácia, etc (Cursos Afins), terão essa correspondência? É lógico que apenas quem faz medicina na particular é que teria acesso”, afirma a nota.

A manifestação foi iniciada por volta das 9h e não houve interrupção do trânsito.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.