Senarc realiza grande apreensão de maconha e desarticula quadrilha de tráfico

Nos seis primeiros meses deste ano, a Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc) apreendeu mais de 1,5 toneladas de drogas. A maconha representa cerca de 90% do montante. A maior parte da droga foi apreendida na rota entre os municípios de Miranda do Norte e Itapecuru Mirim. Em operação ano passado, a Senarc interceptou 1,5 de drogas na mesma rota. O número corresponde a 78,8% do total apreendido no período, que foi 7,1 toneladas. O trecho, um dos maiores pontos de tráfico no Maranhão, está sob monitoramento policial permanente. A estatística deste semestre inclui, ainda, a apreensão de 30 armas e prisão de 138 pessoas.

A Senarc trabalha em operações com foco nos distribuidores e em rotas mais utilizadas pelos traficantes, afirma o superintendente da Senarc, delegado Carlos Alessandro Rodrigues. “Com essa estratégia, as equipes têm conseguido impedir a atividade do tráfico em áreas que, historicamente, eram ponto de atuação. O volume de apreensões mostra o êxito do planejamento e o compromisso das equipes com a missão de combater esse crime e prevenir outros, resultantes do tráfico”, enfatiza.

Além de Miranda do Norte e Itapecuru, outras rotas de tráfico, no Maranhão, estão na Região Tocantina, com drogas vindas de Goiás, passando por Imperatriz, entre as cidades de Açailândia e Buriticupu e a Baixada Maranhense. Os maiores fornecedores são estados da região Centro-Oeste, principalmente Mato Grosso e Goiás, e, também, do Paraguai.
Carlos Alessandro Rodrigues reforça que a Senarc tem desenvolvido planejamentos estratégicos e operacionais com o mapeamento das rotas e o policiamento destas áreas. “São as que apresentam as maiores apreensões e refletem na desarticulação das quadrilhas”, diz.

Estrutura 

Para combater este crime, a Senarc trabalha com departamentos específicos de investigação e estrutura em viaturas, armamentos e demais equipamentos. Utiliza o canal no WhatsApp (98) 99163-4899, funcionando 24 horas e tem apoio de cães farejadores do setor de cinofilia. Atua em conjunto com as regionais de Timon e Imperatriz, que contam com unidades especializadas de investigação a este crime. Realiza, também, ação conjunta com as superintendências e departamentos de outros estados.

Recorde

Este ano, o maior resultado foi de 300 quilos de maconha, também apreendidos na rota Miranda do Norte e Itapecuru, avaliado em aproximadamente R$ 300 mil. O produto estava prensado e pronto para ser distribuído. Na ocasião, três homens foram presos em flagrante enquanto negociavam a droga – todos já tinham condenações por tráfico. Com a operação, a Senarc desarticulou mais uma quadrilha e segue monitorando a área.

O trabalho da Senarc garantiu ao Maranhão o primeiro lugar em apreensões do Nordeste, com a expressiva marca de mais de 7,1 toneladas tiradas de circulação em 2017. A apreensão avaliada em mais de R$ 17 milhões foi a maior do ano. Em novembro do mesmo ano, por meio da operação Libertar, a Senarc prendeu 42 pessoas de uma organização criminosa – entre estes, o maior fornecedor de drogas para o Maranhão, detido em Goiás.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.