Semana de combate à hanseníase: ações são intensificadas em Imperatriz

IMPERATRIZ – O Dia D da campanha é comemorado dia 30 de janeiro, mas as ações da secretaria de saúde, em Imperatriz, serão realizadas o ano inteiro, com implementação das equipes. A ideia é aumentar o número de profissionais envolvidos e o acesso à comunidade, para que haja uma queda nos índices.

Ao detectar a aparência de alguma mancha no corpo, insensível ao toque, é preciso investigar. O teste rápido, que auxilia no diagnóstico de hanseníase já está disponível na cidade. Quanto antes começar o tratamento, melhor. Por isso, é importante que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível. Em geral, os pacientes só procuram um médico quando já apresentam os primeiros sintomas, lesões na pele que afetam também os nervos na região.

A bactéria pode ficar anos no sangue antes que os sintomas se manifestem. O teste é feito com uma gota de sangue do paciente, capaz de identificar a doença antes do surgimento das primeiras lesões.

O sangue do paciente é colocado em uma fita que é misturada com reagentes dentro do aparelho. Dez minutos depois, sai o resultado – se a fita fica com uma linha, é negativo, e se são duas linhas, é positivo.

Mas o coordenador do programa de combate à hanseníase no município, Francisco Cutrim, diz que que o teste não é a única estratégia de combate à doença, “é apenas um suporte para o diagnóstico, ja que mede a infectabilidade” .

Transmissão

A hanseníase é uma doença infecciosa causada por um bacilo que acomete pele e nervos. A forma de contágio se dá pelas vias aéreas superiores (ao falar, tossir ou espirrar), e transmitida pelo portador da doença que não está em tratamento. Os sintomas são manchas brancas ou avermelhadas na pele, com dormência, perda de pêlos, caroços pelo corpo, inchaço na face e orelhas. Quando não diagnosticada e não tratada precocemente evolui para incapacidades físicas.

O sistema único de Saúde (SUS) é disponibiliza medicamentos gratuitos para o tratamento da hanseníase, que é curável. Para o controle e eliminação da doença, o Estado de Goiás trabalha com a meta do diagnóstico precoce, tratamento e cura. O alcance dessa diretriz depende da descentralização do diagnóstico e de tratamentos para os serviços de atenção básica dentro de uma rede de assistência integral e de vigilância dos contatos no domicílio.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.