Seis pessoas morrem em confronto com a polícia só em janeiro

Divulgação

Seis pessoas mortas em troca de tiros com a polícia.

SÃO LUÍS – Seis pessoas morreram em confronto com a polícia só no primeiro mes do ano. As vítimas, na ordem cronológica dos fatos, foram Douglas de Jesus Gomes Rodrigues, de 16 anos; Thaylson Santos Sá, de 17 anos; Railton Costa Santos, de 17 anos, todos no bairro Vila Embratel, e ainda Jonathan José de Oliveira Santos, de 25 anos, na Vila Isabel Cafeteira, e Liliane Silva Vilas Boas, de 26 anos, no Bairro de Fátima.

Megaoperação

O último foi Leo Fabrício Santos Ferreira, de 19 anos. Ele morreu na noite de quarta-feira (29), no Hospital Municipal Dr. Djalma Marques (Socorrão I), onde estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) desde o início da noite do dia 21. Na data, ele foi baleado e preso durante uma megaoperação, deflagrada pela Polícia Civil, em uma área de mangue, no bairro Liberdade, local onde outros três jovens foram detidos, e um menor apreendido, depois de trocarem tiros com os investigadores.

Segundo informações, Leo Fabrício Ferreira foi alvejado durante operação da Polícia Civil, na Liberdade. Uma das balas atravessou o fígado da vítima, que perdeu, ainda, um dos rins. Após a prisão e internação do suspeito e de seus cúmplices, policiais da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC) e da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) informaram que os jovens formavam uma quadrilha e planejavam praticar atos criminosos na cidade.

Crime Organizado

Ainda de acordo com a polícia, a intenção do grupo seria retomar os ataques criminosos na capital, como forma de resposta à transferência de nove detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas para o Presídio Federal de Segurança Máxima da cidade de Campo Grande, no estado do Mato Grosso do Sul, na segunda-feira (20). Ao chegar ao local, os policiais disseram terem sido recebidos à bala e precisaram revidar, forçando o bando a fugir pelo mangue, até ser alcançado.

Foram presos em companhia de Leo Fabrício Ferreira Antônio Carlos Dutra Costa, de 20 anos; Caio Henrique Araújo Rodrigues, de 18 anos, e Joanderson Araújo Ribeiro, também de 18 anos. Com ele, além do adolescente de 16 anos, os investigadores apreenderam um revólver calibre 38 e uma pistola Bereta calibre 7.65, de fabricação italiana. Os suspeitos foram autuados por formação de quadrilha e tentativa de homicídio contra a equipe de policiais civis que atuaram na operação.

Ficha Criminal

De acordo com as investigações da polícia, Leo Fabrício dos Santos Ferreira era dono de uma extensa ficha criminal, que incluía várias prisões por assaltos e homicídio. Ele era suspeito de participar dos atentados à bala contra o prédio do 8º Distrito Policial (Liberdade), em janeiro deste ano. Havia ainda, segundo a polícia, quatro mandados de prisão em aberto pela prática de homicídio, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.