Programa Farmácia Viva é apresentado no Congresso de Ciências Farmacêuticas do Centro-Oeste

O Maranhão apresentou os avanços do Programa Farmácia Viva no I Congresso de Ciências Farmacêuticas do Centro Oeste, que aconteceu no período de 25 a 27 de abril, em Brasília. O evento reuniu farmacêuticos, acadêmicos e profissionais de saúde do país.

O congresso contou com ampla programação técnico-científica, de diversas áreas de atuação da farmácia, e englobou outros seis eventos nos segmentos farmácia clínica, hospitalar, análises clínicas, magistral, farmácia estética e cosmética, nutracêuticos, entre outros.

A coordenadora do Programa Farmácia Viva, Kallyne Bezerra, fez a apresentação da experiência exitosa aplicada no Maranhão.  O Programa Farmácia Viva, implantado pelo governo Flávio Dino em 2016, já conseguiu a adesão de mais de 100 municípios maranhenses. Nos municípios é construído um horto, com cerca de 70 espécies de plantas medicinais, realizada a capacitação de técnicos para cultivar e otimizar os usos terapêuticos de cada espécie.

“Durante o trabalho nas farmácias comunitárias fomos sentindo a necessidade de orientar interações medicamentosas dos fitoterápicos com os remédios alopáticos, que tem efeitos colaterais importantes. Além disso, contamos a experiência nos terreiros de matriz africana, onde ensinamos as medidas das garrafadas, levando conhecimento científicos para que eles tenham mais eficácia na produção de seus fitoterápicos, assim como a experiências nos quilombos e nos 30 municípios do Plano Mais IDH”, disse.

Farmácia Viva

O programa orienta a população e profissionais de saúde de unidades básicas de saúde a fazer o uso correto das plantas medicinais. As plantas medicinais são usadas terapeuticamente na forma de chás, pomadas, cremes, xaropes e outras formas. Terreiros dos núcleos de matriz africana na Região Metropolitana de São Luís também aderiram ao programa.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.