Principal credencial de Eduardo para embaixada é ser filho do presidente, diz ministro de Bolsonaro

Pouco depois de o presidente Jair Bolsonaro dizer que as críticas da imprensa à possível indicação de seu filho,Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para assumir a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos é um sinal de que essa seria uma boa escolha, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Jorge Oliveira , defendeu que o deputado federal tem competência para ocupar o posto e disse discordar de que se trataria de um caso de nepotismo. Para o ministro, que foi chefe de gabinete de Eduardo na Câmara dos Deputados, “a principal” credencial do parlamentar seria, “obviamente”, ser filho do presidente

As declarações foram dadas na manhã desta segunda-feira após sessão solene na Câmara, em homenagem ao Comando de Operações Especiais do Exército (Copesp), da qual Bolsonaro e o filho também participaram. 

—  Eu convivi com ele durante quatro anos. Eduardo é extremamente inteligente, extremamente perspicaz. E ele com uma representação política tem uma força muito grande, teve 1,8 milhão de votos, é filho do atual presidente. E [de] assessoramento técnico todos nós nos valemos, ninguém é obrigado a ter conhecimento pleno de tudo, né? E a gente tem um corpo diplomático extremamente qualificado, temos outros profissionais que podem auxiliá-lo. O principal que eu vejo é o credenciamento que ele teria por ser, obviamente, o filho do presidente —  declarou Oliveira, ao responder que tem “certeza” da competência do deputado para ser embaixador.

Mais cedo, o presidente havia reconhecido que tem tomado decisões que não agradam a todos, citando a possibilidade de indicar o filho para chefiar a missão diplomática do Brasil em Washington, a capital americana. 

— O que eu mais quero é colocar o Brasil no local de destaque no cenário mundial. Por vezes, temos tomado decisões que não agradam a todos. Como a possibilidade de indicar para a embaixada dos Estados Unidos um filho meu, tão criticado pela mídia. Se está sendo criticado, é sinal de que é a pessoa adequada — disse Bolsonaro. 
  
Lembrando que foi chefe de gabinete de Eduardo, Jorge Oliveira, que desde o mês passado acumula o comando do ministério com o da Subchefia para Assuntos Jurídicos (SAJ) da presidência, destacou a dedicação e o comprometimento de Eduardo e sua “credencial” junto ao pai. 

– Em muito pouco tempo, ele conseguiu ter uma postura profissional muito positiva. Vejo que a representação diplomática é, de fato, uma responsabilidade grande, mas ela se faz por uma credencial. Obviamente que ele tem uma credencial junto ao pai, que é o presidente da República, que é muito significativa. E, com certeza, com uma boa assessoria, com os conhecimentos que ele já tem, com o preparo que ele já adquiriu, poderia ser, de fato, positivo para o país.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.