Praça Deodoro é palco de manifestação contra desmatamento na Amazônia

Manifestantes se reuniram nesta tarde de sábado (24), na Praça Deodoro, no Centro de São Luís, contra o desmatamento da Amazônia. Nas últimas semanas, notícias sobre focos de incêndio e queimadas na floresta circularam o mundo e causaram revolta. Em consequência, milhares de pessoas de diversas cidades do Brasil e do mundo foram às ruas manifestar.

Em São Luís, entoando um grito de ordem, estudantes, ativistas e membros de organizações de defesa do meio ambiente se reuniram para representar o Maranhão na luta contra realidade crítica da Amazônia. “Um, dois, três, quatro, cinco mil, preserva a Amazônia ou paramos o Brasil!”, esbravejavam.

O grupo de manifestantes carregava bandeiras e cartazes pedindo a proteção da floresta e com críticas ao governo de Jair Bolsonaro (PSL) e suas ações – ou ausência delas – quanto à preservação da Amazônia.

O estudante Thiago Nascimento, 21, criticou a falta de posicionamento do Governo Federal. “É muito preocupante a situação atual que estamos vivendo. Essa pauta que trata a questão ambiental não é de esquerda e nem de direta, não tem lado político, e vemos que o Governo não tem feito nada para ajudar. Ele tem tratado como um assunto pouco importante, com descaso”.

“Eu estou muito preocupada com o nosso futuro. Uma professora sempre fala que daqui a dois mil anos o mundo vai acabar, mas a gente vê isso acontecer agora, com toda esse descaso que estamos vivendo. Nós precisamos da Amazônia para viver, o mundo precisa dela”, contou a também estudante Thacylla Vida, 17.

Durante a manifestação, o microfone ficou aberto para que os participantes expusessem sua opinião sobre a situação da Amazônia. Na ocasião, Organizações Não-Governamentais (ONGs) como o Greenpeace levantou debate e estendeu a bandeira de preservação pelo verde, assim como o partido Rede Sustentabilidade.

“Chega de desmatamento na Amazônia. É inadmissível estarmos na mídia internacional perdendo um dos principais biomas, fruto de uma má gestão. Precisamos por um fim, de fato, nessa postura inadequada de quem veio para degradar, destruir”, disse o facilitador do Greenpeace no Maranhão, Denisson Ferreira.

“Floresta boa é floresta que está em pé. Que a nossa voz possa ecoar; que todos nós possamos ser multiplicadores de iniciativas e movimentos como esse em favor, principalmente, da vida. Essa luta é de todos e é diária”, declarou a porta-voz da Rede, Janiceia Pereira.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.