Policia vai investigar morte de mulher grávida em hospital do “HAPA” na cidade Chapadinha

A família da dona de casa Sandra Araújo dos Santos, 28 anos acredita que a morte dela, após o parto, no Hospital Regional de Chapadinha, (HAPA) foi causada por negligência médica.

Registrado mais um caso de morte de gestante, no Hospital Regional de Chapadinha, HAPA. Esse já é o quarto óbito suspeito no intervalo de dois meses. família crê em negligência médica. Foto acima: Familiares debruçados sobre o corpo de Sandra; pedem por justiça.

Após ser comunicado pela família  o blogueiro o Alexandre Cunha, apurou os fatos, levando ao conhecidíssimo  público, o caso que abalaram familiares e amigos de Sandra Araújo dos Santos, 28 anos de idade, perdeu a vida prematuramente, após dá a luz a seu segundo filho, um menino, na última segunda feira(30).

Sandra Araújo dos Santos era casada e residia na 4º Travessa Augustinho Ribeiro, bairro Areal. Em relatos feito ao titular do Blog pelo esposo de Sandra, Lidimauro Pereira da Silva, ela deu entrada no Hospital por volta das 17 horas de segunda feira (30), já sentido as dores do parto, e após ser atendida foi indicado uma cirurgia cesariana, sendo realizada pelo médico Dr. Sergio.

Passado algumas horas após a cirurgia Sandra Araújo começou a passar mal se queixando de fortes dores na barriga e perdendo sangue, que no dia primeiro do corrente por volta das 6hs, Sandra não resistiu e veio a óbito.

Maria Raimundo, que era cunhada de Sandra e sua acompanhante no hospital, relatou que uma enfermeira, teria dito que o médico apenas retirou o bebê sem estacar e limpar a paciente. “Na hora que ela (Sandra) tava passando mal, eu fui chamar uma enfermeira, ai, a enfermeira veio, ai ela disse há! Mãezinha é porque o médico fez só abrir e tirar o bebê e não a limpou, por isso que ficou coalhada (coágulos de sangue), aí ela pelejou pra retirar o sangue, mas não conseguiram tirar o sangue”; declarou a cunhada, ainda abalada com o triste acontecido.

Lidimauro até o momento não sabe o certo o que aconteceu e qual foi o motivo da morte da esposa, até o momento não há nem uma justificativa por parte do hospital, ele se queixa ainda que o médico após o procedimento, não fez o acompanhamento necessário da paciente durante a noite para verificar a gravidade do caso; relatou o viúvo.

Em outra parte da entrevista, Lidimauro (foto acima) disse que no momento em que chegou pela manhã no Hospital e que a esposa estava passando mal não havia médico. “Na hora que eu cheguei não tinha nem um médico, foi o jeito eu chamar, bater na mesa, bater no balcão, cadê o médico? Cadê o médico? Cadê o médico?. Depois que ligaram pro Doutor, não sei de onde foi que o Dr. Raimundo veio, mas nessa hora não tinha médico e era pra ter médico”; relatou indignado.

Ainda na manhã do dia 1º, Lidimauro pageprocurou a delegacia regional de Polícia para comunicar o fato às autoridades e registrou um Boletim de ocorrência, a delegada  Ironeide Elvira de Melo e o Delegado Jairon Timbó Sales ao tomarem conhecimento, encaminhou o corpo para o instituto Médico Legal (IML), para que fosse submetido ao exame cadavérico

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.