PMDB PROVOCA E DEM PODE RETIRAR APOIO DE ROSEANA

O movimento do deputado Michel Temer (SP), para impedir a aliança da regional catarinense do PMDB, que preside, com o DEM e o PSDB, do presidenciável tucano José Serra, causou uma crise que saiu dos limites de Santa Catarina e da própria legenda e chegou ao Maranhão, da governadora Roseana Sarney (PMDB).
Decidido a exigir respeito dos catarinenses à chapa da petista Dilma Rousseff, onde figura como candidato a vice-presidente,Temer viajou para a Europa deixando encomendada a intervenção no diretório de Santa Catarina. O DEM deu o troco, falando em intervenção para romper aliança com o PMDB maranhense.
Na troca de tiros, o poder de fogo do DEM pode ser medido pelo tempo do partido na propaganda eleitoral gratuita que será veiculada por 45 dias pelas emissoras de rádio e televisão maranhenses. Roseana pode perder preciosos 2 minutos e 37 segundos diários no programa de televisão, caso a regional maranhense do DEM lhe negue apoio ao projeto de reeleição, em represália à intervenção nacional do PMDB para impedir a parceria entre os dois partidos em Santa Catarina.
Foi esse o recado que o presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), fez chegar ao presidente do Senado e pai de Roseana, José Sarney (PMDB-AP), antes da primeira reunião da Executiva Nacional, terça-feira passada. Àquela altura, o próprio Temer já havia conversado com o deputado ACM Neto (DEM-BA) sobre a aliança no Maranhão, quando foi tratado o caso de Santa Catarina, um dos raros Estados em que o DEM pode vencer a corrida estadual com candidato próprio. Lá, o partido quer eleger o senador Raimundo Colombo governador, em aliança com peemedebistas e tucanos.
O que deixou Temer furioso foi o anúncio-surpresa do presidente do PMDB catarinense, Eduardo Pinho Moreira, na segunda-feira, dando conta de que ele desistia da candidatura ao governo em favor da tríplice aliança. Ele próprio se lançou vice na chapa de Colombo.
Temer quebrou acordo

Rodrigo Maia ficou furioso com a decisão do PMDB de intervir em Santa Catarina para acabar com a aliança do diretório local com o democrata Raimundo Colombo, que é candidato ao governo.
– Há um mês o Michel (Temer) tinha feito um acordo comigo em cima de uma chantagem. Ele ameaçou dizendo que se eu interviesse no Maranhão para retirar o apoio à Roseana, ele iria intervir em Santa Catarina. estou muito surpreso, porque ele e seu grupo não cumpriram a palavra dada.
Segundo Maia, que é presidente do DEM, a Executiva Nacional do partido se reunirá na próxima quarta-feira para analisar o quadro, mas dificilmente manterá a aliança do diretório do Maranhão com Rosena Sarney.
– Eles estão como o ursinho Puff da Disney, cheios de mel na boca achando que a eleição já acabou e que a Dilma já venceu. Estão dando tudo para o PT. Mas mel demais pode não ser bom. (Lauro Jardim)

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.