Parcerias entre Instituto IMED e Dr. Carlos Alberto, promovem “Natal Feliz” em comunidades quilombolas de Itapecuru-Mirim

Em parceria com o Médico, Dr Carlos Alberto Vieira e Silva, o Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento, colocou em prática mais uma ação de solidariedade referente aos festejos natalinos, realizados nos dias 22 e 23, com crianças das comunidades quilombolas de Santa Rosa dos Pretos e Santa Joana, no município de Itapecuru Mirim.

Mais de 50 crianças receberam presentes, brinquedos e lanches doados pelo Instituto, através   médico Dr. Carlos Alberto,  parceiro  que aderiu  à campanha de realização do “Natal Feliz”  em comunidades quilombolas, junto

A ação faz parte do Projeto do IMED que tem o objetivo de levar alegria para todos da comunidade com entrega de brinquedos para as crianças carentes

Dr Carlos Alberto Vieira e Silva é médico – Pós-graduação em Medicina do Trabalho, Médico / Cirurgião, Geral – Ultrasonografista, e Médico Perito para Condutores de Veículos.

Segundo Dr Carlos Alberto a comunidade negra necessitaria de uma ampla discussão sobre a saúde.

Dr Carlos Alberto Vieira

“As discussões sobre a saúde em comunidades negras deveriam ser mais ampliadas pelos profissionais e gestores de serviços de saúde, e entre movimentos sociais do Maranhão, com pesquisa para identificar os problemas nestas comunidades, bem como a implementação e operacionalização da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra”. Frisa o médico

“O único objetivo é discutir com os movimentos sociais, e os gestores de serviços de saúde, a importância e a gravidade desses problemas, promovendo uma grande mobilização diante da   necessidade de intervenção  e  de alertar as autoridades sobre esta grave situação”. Uma vez que precisa tratar das principais doenças epidemiológicas da população negra, onde existem  doenças específicas de negros ,  diferentes dos brancos  e  de maior prevalência no estado e no país.”  Finalizou Dr. Carlos Alberto.

Saúde e preconceito, uma barreira para a  população Negra  

O preconceito é ainda uma barreira para a população negra , quando se discute a saúde pública, e o racismo institucional  é tema de vários debates, onde foi comprovado que a maioria da população do Estado do Maranhão é negra.

Segundo o censo do IBGE, o Maranhão é segundo estado abrangente populacional de Negros do pais,  perdendo apenas para o estado da Bahia.

Discussões, pautas, e relatos dos movimentos sociais, mostram que não houve avanço  na  saúde pública para a população negra

Os movimentos negros continuam lutando para se materializar o âmbito do sistema único de saúde (SUS), políticas públicas e serviços do Ministério da Saúde, das secretárias estaduais e municipais de saúde.

No entanto as especificidades no campo da saúde da população Negra, tem  como fator predominante as questões nosologicas e condicionantes sociais.

 

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.