Luxa reassume Cruzeiro, valoriza o elenco e avisa: “O ano não está morto

O Cruzeiro tem um novo velho comandante. Após 11 anos, Vanderlei Luxemburgo pisou novamente na Toca da Raposa II, como treinador do time celeste  Após longa reunião com os jogadores e a comissão técnica, o Vanderlei concedeu entrevista coletiva e foi apresentado ao lado do presidente Gilvan de Pinho Tavares. O discurso do novo treinador da Raposa foi baseado na motivação. Luxemburgo já comanda a equipe do banco de reservas na partida contra o Flamengo, na noite desta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Aliás, Luxa falou sobre o ex-clube, além da passagem vitoriosa pela equipe celeste, quando conquistou a Tríplice Coroa em 2003. Ele não adiantou se fará alguma mudança no time esta noite, mas disse que vai trabalhar a escalação no período da tarde com a comissão técnica.

– Vou conversar com os jogadores e ver o que pode ser feito. A maior mudança tática que eu quero hoje é a mudança de comportamento. Tem que incomodar. O ano não está morto.

O treinador comentou o fato de enfrentar, logo de cara, o ex-clube. Luxemburgo não escondeu que o Flamengo é o time do coração, mas disse que agora o pensamento é no Cruzeiro. Sobre os pontos negativos da equipe carioca, preferiu fazer mistério.

Eu não vou jogar contra o Flamengo, porque hoje eu sou Cruzeiro. Eu vou buscar o êxito para subirmos na tabela. O Flamengo ficou para trás, todo mundo sabe que eu sou rubro-negro, e não tem por que eu ser questionado pelo Flamengo. Sobre os pontos a serem explorados eu não posso falar.

O novo comandante celeste adiantou os objetivos traçados com a diretoria. O treinador garante que quer dar um passo de cada vez, mas que o objetivo final pode ser o título.

– Entrou ali na frente, não tem por que não pensar no tricampeonato. Ser campeão é difícil, bicampeão, mais ainda.  Tricampeão então… Estou feliz e busco atingir os objetivos do clube. O Cruzeiro me ofertou a possibilidade de novo de ganhar campeonato. Eu vejo o grupo diferente dos outros grupos que vemos no Campeonato Brasileiro. A questão é de ânimo, a motivação. Tudo isso tem que ser discutido.

O novo treinador também falou sobre reforços. E foi muito político. Luxemburgo disse que não poderia dizer, em sua primeira entrevista coletiva, que precisa de novas peças. O técnico do Cruzeiro quer valorizar as peças do elenco. Sobre Robinho, nome especulado nos bastidores da Toca nos últimos meses, Vanderlei brincou.

– Acordei às 5h da manhã, não deu tempo de ligar para ele – disse, aos risos.

Sobre sua passagem em 2003 no Cruzeiro, Vanderlei só tem boas lembranças:

– Primeiro eu brincava com o Zezé (Perrella, presidente na época), eu falava que tinha que ganhar o Mineiro e depois a Tríplice Coroa. Naquela época, minha neta tinha um mês, e minha filha a levava para o estádio. Lembro de jogos fantásticos, como contra o Bahia, quando tínhamos recordes a serem batidos. Eles (os jogadores) tinham recordes pessoais a serem batidos.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.