João Lisboa, na Região Tocantina, vai receber um espaço de lazer com todo conforto que a população merece. O Governo do Estado, por meio de uma parceria entre as secretarias de Estado da Infraestrutura, Educação e Prefeitura, está revitalizando a Praça do Mercado, um dos principais locais públicos de entretenimento da cidade. O secretário da Infraestrutura, Clayton Noleto, falou sobre a importância da iniciativa. “Já reformamos quadra, entregamos Academia da Saúde e em breve João Lisboa vai receber mais um espaço adequado para a prática de esporte e lazer, que é a Praça do Mercado, reforçando o compromisso do Governo com todas as áreas sociais”, reforçou. Orçada em mais de R$ 280 mil, as obras de modernização e adequação contemplam a construção de quiosques com duas lanchonetes, banheiro, um monumento e um ponto de táxi. O local passará a ter toda a estrutura necessária para promover a integração social dos cerca de 23 mil moradores da cidade. São pessoas como o autônomo Deusdete Lima que, inclusive, já enumera outros benefícios. “A gente precisa muito dessa obra. A praça estava bastante deteriorada. Vai ser bom para as crianças, que terão um espaço para brincar e para os idosos, que vão poder passear. É bom para as famílias, atraem pessoas e deixam a cidade mais bonita”, afirmou. Para o comerciante Emerson Carlos da Silva, a iniciativa tem reflexo também para a economia. “É muito importante porque a praça é um ponto de apoio para o comércio local, que é referência para localidades da zona rural. É aí que as pessoas descem dos ônibus. Com a praça reformada, beneficia o comércio porque o movimento de pessoas vai aumentar”, disse.

O juiz federal Sérgio Moro aceitou nesta quinta-feira (1º) o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para ser o ministro da Justiça do novo governo.

A confirmação veio por meio de uma nota, divulgada por Moro, após uma reunião na casa de Bolsonaro, na Barra da Tijuca.

Pouco antes de a nota ser divulgada, um assessor do presidente eleito já havia confirmado para o blog a decisão do juiz.

Na nota, Moro disse que vai deixar novas audiências da Operação Lava Jato, para “evitar controvérsias desnecessárias”. Ele era o responsável pela operação na 1ª instância. Moro disse que a operação vai continuar em Curitiba, com “valorosos” juízes locais.

O juiz Sérgio Moro, ao deixar a casa do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), no Rio de Janeiro — Foto: Henrique Coellho/G1

O juiz Sérgio Moro, ao deixar a casa do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), no Rio de Janeiro — Foto: Henrique Coellho/G1

Moro também afirmou que pesou em sua decisão de aceitar o convite de Bolsonaro a possibilidade de implementar uma “forte agenda anticorrupção e anticrime organizado”.

A reunião entre o juiz e o presidente eleito durou cerca de 1h30. Ao final, Moro chegou a se aproximar de jornalistas que aguardavam o resultado da conversa. No entanto, ele desistiu de falar com a imprensa, diante do barulho no local. Apoiadores da Lava Jato e simpatizantes do novo presidente se aglomeravam na frente da casa de Bolsonaro.

Pouco depois da confirmação de Moro, o presidente eleito publicou no Twitter que a agenda anticorrupção com “respeito à Constituição Federal” vai nortear o trabalho do Ministério da Justiça.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

O juiz federal Sérgio Moro aceitou nosso convite para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Sua agenda anti-corrupção, anti-crime organizado, bem como respeito à Constituição e às leis será o nosso norte!

  • Onyx Lorenzoni: Casa Civil
  • Paulo Guedes: Economia
  • General Augusto Heleno: Defesa
  • Marcos Pontes: Ciência e Tecnologia

Veja a íntegra da nota divulgada por Sérgio Moro:

Nota oficial:

Fui convidado pelo Sr. Presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justiça e da Segurança Pública na próxima gestão. Após reunião pessoal, na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite. Fiz com certo pesar, pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a pespectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Na prática, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior. A Operação Lava Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências. Na próxima semana, concederei entrevista coletiva com maiores detalhes. Curitiba, 01 de novembro de 2018.

Sergio Fernando Moro

FONTE G1

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.