Governador anuncia início de credenciamento para o ‘Escola Digna’

O governador Flávio Dino anunciou para esta quinta-feira (05) o início do credenciamento dos 30 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no ‘Programa Escola Digna’. O anúncio foi feito pelo governador na tarde da última segunda-feira (02), em pronunciamento na Assembleia Legislativa, quando explicou que, nesta primeira etapa, serão construídas 237 escolas de alvenaria em substituição às improvisadas em estruturas de taipa, palha e galpões.

“Dia 5 se iniciará o prazo para que os senhores prefeitos possam se credenciar. A ideia é a substituição integral, nesses 30 municípios, de todas as escolas de taipa, palha e barro que ainda existam. Serão escolas construídas com recursos do Governo do Estado que serão entregues às gestões municipais”, explicou o governador ao falar de seu empenho e compromisso com a educação.

O credenciamento estará aberto aos municípios até o dia 10 de fevereiro por meio de inscrição no endereço eletrônico da Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Passada esta etapa, os municípios deverão entregar a documentação solicitada, entre os dias 11 e 13 de fevereiro, na sede da Seduc, situada à Rua Conde D’Eu, n° 140, Monte Castelo, em São Luís, de 8h às 12h e de 14h às 18h. A assinatura do termo de adesão está prevista para o dia 24 de fevereiro.

Garantir a melhoria da infraestrutura da rede de educação pública foi um compromisso assumido pelo governador ainda em campanha. Professor por mais de 20 anos, Flávio Dino explica que a educação deve ser tratada como prioridade e que, por isso, anunciou um pacote de medidas para o setor ainda no primeiro mês de gestão.

“Inicialmente as ações serão nos 30 municípios com menor IDH, e depois nos demais. Vamos erradicar totalmente essas escolas que não garantem as condições mínimas de desempenho da elevada e nobre atividade de ensinar e de aprender”, completou o governador.

A meta geral do ‘Escola Digna’ é construir 1.090 escolas de alvenaria, proporcionando às crianças, jovens, adultos e idosos atendidos pelo sistema público de ensino dos municípios, acesso à infraestrutura necessária para a sua formação como cidadão livre, consciente e preparado para atuar profissionalmente nos mais diversos campos da atividade social.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.