França convida 100 países para impulsionar Acordo de Paris e exclui Trump

 

 

O presidente francês anunciou a intenção de que o acordo histórico de 2015 não perdesse impulso após a decisão de Trump de retirar seu país deste pacto.

 

 

 

A França convidou para o próximo dia 12 de dezembro uma centena de países e representates de organismos internacionais e ONGs para comemorar os dois anos do acordo climático de Paris em uma cúpula na qual excluiu o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A reunião espera reunir atores comprometidos na aplicação desse pacto, por isso que o líder americano não foi convidado “por enquanto”, precisou nesta terça-feira a Presidência francesa, que enviou seu convite a representantes do Governo americano e a associações desse país.

O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou esta cúpula no G20 de julho com a intenção de que o acordo histórico de 2015 não perdesse impulso após a decisão de Trump de retirar seu país deste pacto.

O encontro, que será realizado na ilha Seguin, nos arredores de Paris, pretende valorizar as ações empreendidas até agora pelos países signatários, acelerar o cumprimento de seus compromissos a favor da atenuação da mudança climática e da adaptação, e estimular o financiamento público e privado.

A reunião batizada como “One Planet Summit” vai acontecer menos de um mês depois da cúpula sobre a mudança climática (COP23) que acontece em Bonn (Alemanha) desde ontem e até dia 17, mas a presidência francesa defende que são complementares e que perseguem objetivos diferentes.

A França espera em 12 de dezembro anúncios relativos ao reforço do financiamento na luta contra a mudança climática e ao desenvolvimento de ferramentas financeiras inovadoras na matéria, assim como a apresentação de projetos efetivos em setores como o transporte, a agricultura e as energias renováveis.

Essa será uma cúpula centrada “na ação”, na qual, dois anos depois da adoção do Acordo de Paris, a França não quer uma perda de fôlego para cumprir com o objetivo de que a temperatura média mundial no final de século não aumente mais de dois graus centígrados com relação aos níveis pré-industriais.

A menos que os esforços sejam acelerados, segundo as autoridades francesas, será impossível alcançar essa meta.

A jornada será acompanhada de atividades paralelas nos dias prévios e posteriores e se desenvolverá em torno de quatro painéis temáticos e de um diálogo de alto nível entre os chefes de Estado e de Governo e outras personalidades.

No total, a presidência francesa espera receber cerca de 2 mil participantes e acredita que os resultados deste encontro produzam um efeito de “bola de neve” no resto de atores e associações.

Agência EFE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte: ma10

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.