Experiência exitosa de redução da mortalidade materna será compartilhada pela OPAS/OMS com outros países

A experiência de redução da mortalidade materna no Maranhão, por meio da adoção de boas práticas em saúde, desenvolvidas pelo Governo do Estado em parceria com outros organismos e entidades, será compartilhada com outros países pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

A declaração foi dada pela representante da entidade no Brasil, Socorro Gross, nesta quinta-feira (14), ao secretário de estado da Saúde, Carlos Lula. Ela, também, garantiu que continuará com o apoio ao Maranhão para reduzir a morbimortalidade materna e para fortalecer ações que melhorem a qualidade de vida de toda a população. 

A OPAS/OMS foi uma das grandes parceiras que tivemos para reduzir indicadores de morbimortalidade entre mulheres e crianças no estado. Com esse apoio, vamos seguir alcançando melhorias para as futuras mamães e seus filhos na nossa rede”, afirmou Carlos Lula. 

A representante da OPAS/OMS virá ao Maranhão em março para acompanhar, sistematizar e divulgar os resultados alcançados pela Regional de Saúde de Balsas, atualmente formada por 13 municípios do sul do Maranhão que, em 28 de dezembro, completou 365 dias sem registro de óbito materno. Atualmente, são mais de 400 dias sem um caso de morte materna. 

O resultado positivo na região foi alcançado após a adoção de estratégias e ações voltadas para a qualidade de vida da mulher, pré-natal, parto e puerpério, como a inauguração do Hospital Regional de Balsas, do Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo e a Planificação da Saúde. Um trabalho em parceria entre Governo do Estado, Prefeitura Municipal, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). 

Morte materna

Morte materna é o óbito de uma mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração ou da localização da gravidez. É causada por qualquer fator relacionado ou agravado pela gravidez ou por medidas tomadas em relação a ela.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.