Ex-padrasto preso por morte e estupro da menina Alanna Ludmilla é pronunciado a júri popular

Robert Oliveira Serejo, o ex-padrasto e suspeito de assassinar Alanna Ludmilla, de 10 anos, foi pronunciado a júri popular por decisão do juiz Roberto de Paula, que responde pela 3ª Vara de Paço do Lumiar. A decisão de pronúncia permite recurso da defesa para que o júri não aconteça.

“Se houver recurso, o processo sobe para o tribunal, que vai apreciar o recurso. Depois que voltar de lá é que poderá, ou não, ser marcado o júri. Mas caso não haja recurso o processo volta ao juiz e a data do júri será marcada e deve acontecer já esse ano”, afirmou o juiz Roberto de Paula.

Robert Serejo foi pronunciado com base em indícios de autoria que apontam que ele matou e estuprou a menina Alana Ludmilla. As denúncias apontam a prática de feminicídio, estupro de vulnerável e ocultação de cadáver.

O caso

Alanna Ludmilla desapareceu no dia 1º de novembro de 2017, em Paço do Lumiar. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Alanna Ludmilla desapareceu no dia 1º de novembro de 2017, em Paço do Lumiar. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Antes do corpo ser achado a menina estava desaparecida. Segundo a polícia, ela sumiu durante o tempo em que estava sozinha em casa e a mãe tinha ido a uma entrevista de emprego. Durante as primeiras investigações, uma mochila que pertencencia a menina foi encontrada em um terreno baldio em um bairro vizinho.

O principal suspeito era o ex-padrasto de Alanna, Robert Oliveira Serejo, que chegou a prestar depoimento na delegacia antes do corpo ser achado, mas depois não foi mais localizado. A prisão do suspeito aconteceu três dias após o crime,quando ele foi reconhecido em uma van que seguia em direção ao interior do Maranhão.

Até o momento, Robert continua preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde aguarda o andamento do processo contra ele. FONTE G1

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.