Estudantes produzem esculturas de autorretrato em modelagem

Estudantes do Núcleo de Atividades de Altas Habilidades e Superdotação (NAAHS) Joãosinho Trinta, instituição ligada à Secretaria de Estado de Educação (Seduc), na Cohab, participaram, na quarta-feira (3) da Oficina Arte Educativa “Autorretrato em modelagem”, uma parceria do Núcleo com o Sesc/MA.

A oficina está ligada ao Projeto Mãos à obra, promovido pelo Sesc, um trabalho que já existe há mais de 20 anos e trata da questão de acessibilidade e inclusão nos espaços culturais. Durante a oficina, 25 estudantes produziram esculturas usando massa de modelar e recortes de papeis coloridos, com o objetivo de criar autorretratos.

Ellen Lima, uma das orientadoras do projeto e servidora do Sesc/MA, explica que atualmente o projeto está com duas exposições de fotografia sobre a temática da mulher, de forma a mostrar como as mulheres que sofrem violência e abuso podem se reconstruir por meio da arte. “Ao final das exposições, há uma grande teia que tem as fotos das mulheres misturadas umas às outras, o que simboliza a questão da união, a representação de poder mostrar essa violência e, ao mesmo tempo, se reconstruir. Estamos todas unidas por uma mesma causa”, conta Ellen.

“A oficina que a gente trouxe é sobre autorretrato. A gente fez a sensibilização inicial falando sobre as exposições e temos um espelho em que eles podem se olhar e através de recortes com papeis coloridos e com massinha de modelar, eles se representam. As exposições falam sobre a mulher, mas não necessariamente a temática tem que ser só feminina, porque aqui a gente fala sobre a questão da identidade, da reconstrução. A ideia é que não fique de fato a sua imagem mesmo ali, mas a sua identidade, registrar essa marca deles”, complementa a orientadora.

O gestor geral do NAAHS, Fabiano Tajra, conta que a parceria do NAAHS com o Sesc/MA vem desde o ano passado, quando estudantes do Núcleo participaram de atividades produzidas pela instituição. “Esse ano é o primeiro evento que eles estão fazendo dentro da área de arte e cultura, e nos fizeram esse convite de trazer essa oficina para cá. Já que nós temos um grupo de enriquecimento que trabalha com criatividade, com artes visuais, nós unimos as duas áreas, que é essa área da modelagem, que nós ainda não havíamos trabalhado com os alunos. E pra eles está sendo muito bom, porque eles estão conhecendo um novo material, essa é uma nova técnica de trabalho para eles que estão mais acostumados com os desenhos em papel e em tela”, disse Fabiano.

Para o professor de Artes do Núcleo de Atividades de Altas Habilidades e Superdotação, Jorge Alves, a atividade enriquece os conhecimentos do grupo “Vivenciando as artes visuais”, composto por estudantes com características comportamentais em altas habilidades e superdotação em pintura, desenho e escultura. “Eles estão comprometidos e essa parceria com o Sesc é muito boa pra nós porque complementa. Todos eles tem o talento para pintura e as artes. Essa oficina é uma ferramenta que complementa o que eles já aprendem aqui todos os dias, qualquer atividade artística enriquece mais o talento deles”, enfatiza o professor.

“Essa oficina é muito interessante em muitos sentidos pois, em geral, ninguém liga para autorretrato e a modelagem também não é uma coisa muito comum, a maioria das pessoas geralmente só desenha e pinta então é um desafio de muitas maneiras. A oficina me despertou a vontade de trabalhar com mais materiais em 3D e o interessante, foi primeiro pensar em fazer alguma coisa relacionada a mim mesma, avaliar como eu sou para tentar passar quem eu sou para o papel ou, nesse caso, para a massinha e eu nunca tinha pensado em fazer algo assim antes, foi divertido”, afirmou Emille Cantanhede, estudante do NAAHS.

O Núcleo de Atividades de Altas Habilidades e Superdotação Joãosinho Trinta está passando por ampla reforma e, para Fabiano Tajra, o novo Laboratório de Artes, recém entregue aos estudantes, também foi um vetor de incentivo aos participantes da oficina, além de propiciar uma melhor apreensão dos conteúdos ensinados pelas ministrantes da oficina.

“O NAAHS completa 13 anos em 2019 e está vivenciando o seu melhor momento. Já temos parcerias com diversas outras instituições e essa reforma propiciará seguir com esses parceiros. Para se trabalhar o pedagógico precisa se ter uma estrutura física adequada, isso vai melhorar cada vez mais a qualidade do que é produzido pelos nossos estudantes. E a gente tá vendo isso com a entrega desse Laboratório de Artes Visuais. E, ainda, temos salas de música e de dança, auditório para serem entregues, é uma reforma grandiosa, e por isso eu digo que o NAAHS nunca viveu um momento como esse”, salientou o coordenador geral.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.