Estudante diz que matou o pai porque sofria abusos sexuais

A estudante Kinberlin Keyce de Jesus da Silva, presa em flagrante pela morte do pai, disse nesta quarta-feira (10) que o crime foi motivado por abusos sexuais que sofria desde os 13 anos. O serralheiro Kedson Barbosa da Silva, 41, foi morto com 13 facadas dentro da própria casa. O homicídio ocorreu na terça (9). A jovem de 19 anos confessou o crime. “Ele me dava nojo”, disse.

Segundo o delegado Ivo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), as suspeitas do assassinato foram direcionadas à filha da vítima ainda no local do crime.

“Nos chamou a atenção a frieza com a qual ela se portava, visto que, enquanto todos os parentes demonstravam sentimento, dela não saía uma lágrima. A partir daí, intensificamos as investigações contra ela, até que, em determinado momento, ela resolveu confessar [a autoria]”, conta.

 

O delegado afirmou que Kinberlin teria matado o pai para ficar com a casa dele. Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta, a jovem afirmou que pretendia ficar na residência, mas que o motivo do crime foi a série de abusos sexuais que Kedson cometia contra ela e que já duravam cerca de seis anos.

“Ele me ameaçava e dizia que eu não podia contar para ninguém. [Horas antes do crime], ele me obrigou a ter relações com ele. Eu fiquei com muita raiva, ele me dava nojo. Depois decidi que aquela seria a última vez”, disse Kinberlin.

Ainda segundo a jovem, ela amarrou o pai e o esfaqueou depois do ato sexual. Ela disse que a intenção era esquartejá-lo, colocar as partes em uma mala e enterrá-lo no fundo do quintal da casa, porém não conseguiu fazer o buraco que serviria de cova e desistiu.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.