Edivaldo denuncia uso eleitoreiro de recursos da Cultura

O líder da oposição na Assembleia, deputado Edivaldo Holanda (PTC), denunciou, nesta quinta-feira (10), mais um episódio da campanha sórdida promovida pelo governo do Estado com vistas às eleições de outubro.

Holanda leu na tribuna um e-mail encaminhado a ele pela artista Michele Cabral. No texto, Michele revela que a Secretaria de Estado da Cultura (Secma), comandada por Luís Bulcão, está utilizando recursos públicos para barganhar apoios e votos da classe artística e de outros representantes da cultura popular maranhense.

O esquema, segundo o texto da artista, está funcionando da seguinte forma: a Secma divulgou recentemente o Edital Universal de Apoio à Cultura Maranhense, instrumento pelo qual o governo pretende fomentar, através da liberação de recursos financeiros, atividades culturais diversas. No Edital, consta que 140 projetos, com valores de liberação variando entre R$ 10 mil a R$ 15 mil, serão selecionados pela Secretaria no período de 1º de setembro a 1º de outubro – dois dias antes da eleição majoritária.

No entanto, as regras do Edital são claramente eleitoreiras e condicionam a liberação dos supostos recursos à permanência de Roseana Sarney no governo do Estado a partir de 2011. “Este Edital prevê a contratação dos projetos para março de 2011. Os referidos projetos devem ser entregues no período de 1º de setembro a 1º de outubro deste ano. O parágrafo 13 do Edital diz que os projetos homologados serão divulgados no site da Secma no dia 05 de outubro, ou seja, dois dias depois da eleição. Enfim, estas regras são eleitoreiras, ameaçam à liberdade e é um modo de dizer abertamente aos artistas maranhenses que eles só terão os seus projetos aprovados, e os recursos liberados, mediante a seguinte condição: Roseana Sarney tem que vencer a eleição de outubro e continuar no governo”, afirmou o deputado.

Michele Cabral também fez duras críticas à manobra orquestrada pelo governo Roseana e garantiu que o Coletivo de Artistas do Maranhão ingressará com uma representação no Ministério Público e Tribunal de Justiça visando tornar sem efeito o referido Edital. “O Edital condiciona a liberação dos recursos na continuidade da mesma gestão em um ano eleitoral. Em outras palavras, a governadora está dizendo vote em mim, caso contrário, você não vai receber o seu patrocínio, diga-se de passagem, uma mixaria”, atestou a artista.

Para Edivaldo Holanda, tudo indica que esta nova manobra eleitoreira do governo do Estado foi orquestrada pelo deputado Ricardo Murad (PMDB), coordenador da campanha à reeleição de Roseana Sarney. “Este Edital é a cara do Ricardo Murad que, com seu dedo comprido, domina mais um setor [Cultura] deste desgoverno”, finalizou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.