Diversidades de temáticas marcam 22ª edição do Femate em São Luís

A 22ª edição do Festival Maranhense de Teatro Estudantil (Femate) de São Luís foi marcada pelas diversidades temáticas dos espetáculos apresentados pelas escolas particulares e da rede pública. As atividades cênicas foram encenadas pela comunidade estudantil de São Luís e diversos municípios maranhenses. Este ano, se apresentaram de 34 instituições de ensinos, sendo 10 na etapa de Alto Alegre do Pindaré, realizada no início de novembro, e 24 na fase promovida em São Luís que foi encerrada nesta semana.

O festival foi realizado pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Sectur) por meio do Centro de Artes Cênicas do Estado do Maranhão (Cacem).  A mostra, realizada no teatro da Escola Modelo Benedito Leite, motivou debates entre educadores, incentivou jovens artistas e destacou a importância das artes no contexto educacional.

Na programação de São Luís, 24 espetáculos foram produzidos por grupos e instituições de São Luís, Miranda do Norte, Axixá, Alcântara, Rosário e São José de Ribamar.

O festival iniciou na sexta-feira (9), com a abertura oficial no Anfiteatro Beto Bittencourt, com a apresentação da montagem Diálogos da Balaiada, dirigida por Luiz Pazzini e encenada pelos atores Thallison Moreira e Wês Alves. A apresentação teve duração de 20 minutos e mostrou um pouco dos fatos ocorrido na numerosa revolta popular ocorrida no Maranhão entre os anos de 1838 e 1841, liderada por homens pobres, mestiços e também escravos, devido ao sentimento de opressão que sentiam em relação aos grandes proprietários de terra.

O coordenador do evento, o ator, diretor e produtor cultural, Josimael Caldas, reitera que a participação das escolas dos municípios tem sido efetiva e de grande relevância para o fortalecimento do evento a cada ano, e por isso a importância de disseminar a ação, levando o festival até as cidades maranhenses.

“O Femate tem o objetivo de oportunizar a arte dessa gente tão talentosa, por isso temos trabalhado para que a arte e a cultura alcancem a todos os maranhenses”, destacou Josimael Caldas que faz parte do Femate.

Os alunos que se destacaram e garantiram a premiação, receberam certificados de participação e o troféu “Cosme Júnior”, nome dado em homenagem ao consagrado ator e professor de teatro maranhense, Cosme de Carvalho Junior (1953 – 1990), além de bolsas de estudo para o Curso Técnico em Arte Dramática, do Cacem.

Premiação

A premiação de melhor espetáculo do Ensino Fundamental foi para a escola Viva Vida com o espetáculo “Alice no país das maravilhas”. O segundo lugar ficou a Unidade Integrada Maria José Macau com a apresentação de Gota d’água, da cidade de Rosário. O terceiro lugar foi para Escola Antônia Sampaio Ribeiro, com Morte e vida Severina, da cidade de Miranda do Norte.

A indicação de melhor ator do Ensino Fundamental foi para o estudante Luís Guilherme de Mello , que interpretou o  João grilo na peça O Auto da Compadecida. A melhor atriz foi Bruna Eduarda de Lemos Gomes rainha Carlota, do espetáculo “O reino dos mal-humorados”. Já o ator revelação foi para Rômulo Guilherme de Amorim, também com Auto da Compadecida, interpretando o padre.

Na categoria atriz revelação houve um empate técnico entre Nicole Bastos Lucas Ferreira, do espetáculo “Alice no país das maravilhas” e Clarah Isabelle Araújo, do espetáculo Navio Negreiro.  O melhor figurino e o melhor cenário ficou para a Escola Viva a Vida que encenou  Alice no país das maravilhas. O título de melhor cenário foi divido com a Escola Benedito Oliveira Saraiva com espetáculo Morte e Vida Severina. Já a melhor direção foi para Elves Franco, que dirigiu “Alice no país das maravilhas”.

Quem levou o prêmio de melhor espetáculo no Ensino Médio foi o colégio Santa Tereza, com os espetáculos História do Samba e Colégio Militar 2 de Julho, com Via Sacra.  Em segundo ficou a peça Aurora da minha vida, sem tecnologia, do Centro de ensino professor Aquiles Batista de Oliveira, do município de Alcântara. Em terceiro lugar ficou o Cintra com a encenação de Édipo Rei.

A premiação de melhor ator foi para João Lucas Moreno Vale, que interpretou o narrador na Via Sacra. A premiação de melhor atriz ficou empatada entre Ana Raquel, de “Aurora da minha vida, sem tecnologia” e Ingrid Samela, de Natal diferente.

O ator revelação foi Rodrigo Araújo, que fez o mensageiro em Édipo Rei.  A atriz revelação foi Natália Pinheiro Santos, que interpretou uma cantora em “Protesto, essa é a nossa política”. A premiação de melhor figurino, cenário e direção foram para História do Samba.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.