Coeficiente de mortalidade por Aids no Maranhão é o maior do Nordeste

aidsO coeficiente de mortalidade por casos de Aids no Maranhão em 2013 é o maior do Nordeste: 6,6 casos para cada 100 mil habitantes. O dado faz parte do Boletim Epidemiológico de HIV e Aids 2014, divulgado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (1º), em Brasília, por ocasião do Dia Mundial de Luta contra a Aids (1º de dezembro).

pesar de ter o maior coeficiente da região, o Estado não registrou o maior número de casos em números absolutos. Segundo o Ministério da Saúde, em 2013 o Maranhão teve 422 novos casos, sendo superado pela Bahia e Pernambuco, que registraram 572 e 550 casos, respectivamente.

Em São Luís, um total de 249 novos casos de Aids foram confirmados este ano, segundo o Programa Municipal de DST/Aids da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). Com um elevado número de casos, em novembro a capital maranhense ocupava o segundo lugar no ranking de municípios do Nordeste com maior índice na taxa de detecção, ficando atrás apenas de Ipojuca (PE).

Em 2013, São Luís ocupava o 1º lugar, com 3.076 casos registrados, entre as capitais nordestinas com o maior número de portadores da doença.

Números do país
De acordo com o novo boletim epidemiológico, cerca de 734 mil pessoas vivem com HIV e aids hoje no país. Deste total, 80% (589 mil) foram diagnosticadas. Desde os anos 80, foram notificados 757 mil casos de aids no país. A epidemia no Brasil está estabilizada, com taxa de detecção em torno de 20,4 casos, a cada 100 mil habitantes. Isso representa cerca de 39 mil casos de aids novos ao ano.

O coeficiente de mortalidade por aids caiu 13% nos últimos 10 anos, passando de 6,1 caso de mortes por 100 mil habitantes em 2004, para 5,7 casos em 2013. Do total de óbitos por aids ocorridos no país até o ano passado, 198.534 (71,3%) ocorreram entre homens e 79.655 (28,6%) entre mulheres.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.