Celebrações do centenário de Josué Montello começam no segundo semestre

Personagem principal dos romances de Josué Montello, São Luís é também o berço do escritor, onde nasceu em 21 de agosto de 1917. Para marcar seu centenário, a cidade sediará, no segundo semestre deste ano, extensa programação cultural sobre o ainda jornalista, cronista e gestor público.

As atividades começam na semana de 21 a 25 de agosto, por meio da ‘Semana Montelliana’, com palestras, exibição de documentários e visitas guiadas ao acervo da Casa de Cultura Josué Montello (CCJM), sediada na Rua das Hortas, Centro.

“A casa vai estar aberta para divulgar a produção montelliana, com o objetivo de estimular o interesse pela obra do autor e divulgar trabalhos e pesquisas já realizados sobre ele”, disse a diretora da CCJM, Joseane Souza.

Na programação a ser realizada em parceria com outras instituições, estão previstas as publicações de uma coletânea de artigos sobre escritores maranhenses e um livro infantil, ambos escritos por Josué Montello.

O conjunto de homenagens reúne, ainda, o lançamento de selo postal comemorativo, site com informações sobre o centenário e apresentações teatrais inspiradas na vida e na obra do autor.

Revitalização

Ligada à Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), a Casa Josué Montello foi reaberta em dezembro do ano passado, após dois anos fechada para reforma. Com a reinauguração, foi aberto mais um espaço de exposição permanente sobre o escritor.

Trata-se do Museu Josué Montello, onde constam o último fardão que o escritor vestiu na Academia Brasileira de Letras, medalhas e placas condecorativas, troféus, diplomas, gravuras, quadros e outros objetos pessoais.

O ambiente foi fomentado via edital pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema). Com 34 anos de fundação, a Casa Josué Montello conta com quase 30 mil livros e mais de 2 mil fotografias, totalizando um acervo de aproximadamente 60 mil itens.

Curiosidades

A maior parte das obras que compõem a Casa de Cultura Josué Montello foram doadas pelo próprio escritor em escritura pública, em 14 de maro de 1983, incluindo obras bibliográficas, documentais e museológicas.

Após a morte de Josué Montello, em 15 de março de 2006, sua esposa Yvonne Montello, que era bibliotecária, tornou-se a principal responsável pela organização do acervo do centro cultural. A viúva do escritor também já é falecida.

Em seus romances, como ‘Cais da Sagração’, ‘Os Tambores de São Luís’ e ‘Noite Sobre Alcântara’, Josué Montello retratou, com riqueza de detalhes, cenários do Centro Histórico de São Luís e do Maranhão, mesmo vivendo no estado apenas na juventude.

Além de escritor, Josué foi colaborador do Jornal do Brasil, assessor de imprensa do presidente Juscelino Kubitschek e embaixador do Brasil junto à Organização das Nações Unidas (Unesco), onde defendeu os títulos de Patrimônio Cultural da Humanidade para as cidades de Brasília e São Luís.

Entre romances, contos, crônicas e artigos, a profícua produção literária de Montello reúne mais de 160 títulos sobre temas diversos. Entre eles estão ‘A Coroa de Areia’ (1979), narrativa sobre a marcha da Coluna Prestes em terras maranhenses e ‘Sombra na Parede’ (1995), uma história de amor entre duas mulheres, tema que ainda soava polêmico na época.

FONTE: GOVERNO DO ESTADO

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.