Casos graves de dengue no Maranhão preocupam autoridades

Dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), neste ano, o número de casos de dengue registrou queda de 40%, comparado a 2012, no Maranhão. Os números, segundo a SES, representam um esforço conjunto das ações dos agentes de saúde e, também, da população. Já os dados sobre mortes por dengue se mantiveram iguais, e preocupam.dengue31072013-300x225

No Estado, a queda foi 41,3% em relação ao primeiro semestre do ano passado, quando foram notificados 5.724 casos de dengue. Na capital maranhense, a ocorrência da dengue caiu, de 908 no primeiro semestre de 2012, para 736 neste ano, ou seja, 17%. Em São Luís o maior foco da doença foi registrado nas áreas do São Francisco (com 66 casos), Coroadinho (26), Anjo da Guarda (21) e Bequimão (20). A meta é reduzir em, pelo menos, 25% os casos da dengue na capital.

Segundo a médica infectologista Rosângela Cipriano, a melhor maneira de evitar a doença, ainda, é a prevenção. “Os cuidados preventivos são os mais importantes. As pessoas devem ter cuidado com água; não deixar água empoçada, mesmo limpa ou água de chuva.não ter aquelas garrafas em cima dos muros voltadas para cima; não ter lixo no quintal; não ter pneus ou garrafas d’água; ter cuidados com a água de plantas; então, tudo isso tem que ser muito bem controlado, porque o inseto gosta de água e gosta de calor. Nesta época, a chuva e muito calor favorecem que os ovos que já estão ali, desde o ano passado às vezes, eclodam e passem a desenvolver o inseto, e ele pode já vir infectado”, afirmou em entrevista ao Imirante.

A especialista explica que o ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti, que transmite a doença, é muito rápido, o que requer atenção. “O mosquito encontrou um ambiente muito favorável, eclode dali e, uma semana depois, o inseto já está adulto, no ponto de começar a picar”, esclarece.

Os sintomas da doença são similares ao de um resfriado. “Começa com uma doença febril aguda, com dor de cabeça e que parece um resfriado, mas sem aqueles sintomas catarrais. Então, geralmente, esse é o quadro de dengue. É preciso fazer um hemograma para reforçar a suspeita, mas que necessitam de exames tardios para ser confirmado”, explica. Identificando os sintomas, deve-se procurar o posto de saúde mais próximo.

Tipo 4

Um número que ainda preocupa as autoridades é o de casos graves da doença. O número de mortes em 2013 continuou o mesmo de 2012: dez pessoas morreram no Estado, vítimas da dengue, sendo quatro em São Luís. O grau de letalidade da doença subiu, de 18,5% para 31,3%. A causa é um novo sorotipo da doença: a dengue tipo 4 começou a circular no Estado em 2011, em São Luís, Estreito e Rosário, e já chegou a mais dois municípios (Timon e Humberto de Campos).

Segundo a especialista consultada pelo Imirante, a dengue tipo 4 é mais grave em pessoas que já contraíram, alguma vez, a doença. Os casos graves são caracterizados por dores abdominais, dor de cabeça forte e vômito. Neste caso, deve-se procurar, imediatamente, um pronto-socorro mais próximo.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.