Carlos Brandão participa de solenidade virtual de abertura do Ano Agrícola 2021/2022

O Governo do Estado realizou, nesta segunda-feira (20), por videoconferência, solenidade de abertura do Ano Agrícola 2021/2022, que serviu para discutir perspectivas para a nova safra, sobre o monitoramento do plantio do milho e da soja, da agropecuária e a expectativa de crédito na produção agrícola maranhense para esse período. 

O evento aconteceu por intermédio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), e contou com a participação do vice-governador Carlos Brandão.  

“Debatemos o lançamento do Ano Agrícola 2021/2022 no estado do Maranhão. O Maranhão tem se destacado no aumento da sua produção, cada vez mais gerando emprego e renda. Por isso, é importante o debate para gente captar cada vez mais recurso, para a expansão de áreas agrícolas, expansão da nossa produção, porque isso é muito importante na balança comercial do nosso estado e do Brasil”, comentou Brandão.

O secretário da Sagrima, Sérgio Delmiro, ressaltou o desempenho do estado no setor, que superou a média nacional com 5,7% maior que a safra anterior, com 5,919 toneladas.

“Nós tivemos um crescimento basicamente em todas as áreas no valor de produção, com o maior volume de soja, em 20,6%, o milho também acompanhou, com aumento de 45%. O estado comemora tanto na pecuária como na agricultura, com grandes crescimentos na safra anterior”, destacou Delmiro.

Aos produtores do setor agrícola maranhense serão disponibilizados créditos pelo governo federal na ordem de R$ 251,22 bilhões – alta de 6,3% (mais R$ 14,9 bilhões) em relação à safra anterior -, com destaque para o financiamento de técnicas sustentáveis, aliando a produção agropecuária com a preservação ambiental.

Plano Safra Brasileiro 2021/2022

O governo federal lançou, no dia 22 de junho deste ano, o Plano Safra 2021/2022, um grande fomentador do desenvolvimento agropecuário em bases sustentáveis, com R$ 251,22 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional. 

O valor reflete um aumento de R$ 14,9 bilhões (6,3%) em relação ao Plano anterior. O Tesouro Nacional destinou R$ 13 bilhões para a equalização de juros. O montante representa um subsídio governamental dado aos produtores brasileiros. Por meio da equalização, o governo cobre a diferença entre a taxa de juros praticada no mercado financeiro e a taxa efetivamente paga pelo produtor. 

Participaram da abertura o vice-governador Carlos Brandão, o secretário de Política Agrícola da Maranhão Parcerias (MAPA), César Hallum; o titular da Sagrima, Sérgio Delmiro; o titular da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Rodrigo Lago; o titular da Secretaria de Estado de Programas Estratégicos (SEPE), Luís Fernando Silva; o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), Ted Lago; o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja no Maranhão (Aprosoja-MA), José Carlos Oliveira; o presidente da Faculdade de Educação e Meio Ambiente (Faema), Raimundo Coelho; o superintendente da Caixa Econômica Federal, Nayrton Nunes; os superintendentes do Banco do Brasil, Evandro Mendes; do Banco do Amazônia, Diego Lima; o do Banco do Nordeste, Hailton José Fortes, e entre outros gestores estaduais, membros de entidades e representantes das classes produtivas

Fonte da matéria postada:Vice-governadoria
Texto: Fábio Allex
Fotos: Luiz Paula

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.