Câmara aprova projeto que reserva a mulheres 25% nas vagas de segurança.

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados aprovou nessa semana o Projeto de Lei 6.299/16, que reserva as mulheres 25% (vinte e cinco por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos na área de segurança pública.

De acordo com o Projeto, a reserva de vagas será aplicada sempre que o número de vagas oferecidas no concurso público for igual ou superior a quatro; sendo que as candidatas concorrerão concomitantemente às vagas reservadas e às vagas destinadas à ampla concorrência, de acordo com a sua classificação no concurso.

A justificativa da proposta, de autoria do deputado federal Cabo Sabino, explicita que: “Num momento histórico em que as políticas de gênero estão na pauta de discussões dos governos e sociedade, o objetivo foi subsidiar a formulação de projetos e políticas pautadas pelo respeito à diversidade de gênero, reconhecendo que a igualdade não se constrói ao se apagar as diferenças biológicas, sociais e culturais entre homens e mulheres, mas com sua devida valorização e abordagem que permita corrigir a desigualdade histórica que tem contribuído para limitar o exercício de direitos pelas mulheres.”

A proposta aguarda designação de relator na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP).

OAB contesta resolução da Anac

Brasilia – O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, esteve na tarde desta terça-feira (20) com o ministro do Turismo, Marx Beltrão, para falar a respeito da resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que libera as companhias aéreas a cobrar por bagagens despachadas nos voos nacionais e internacionais.

Atualmente essa cobrança não é feita.

Acompanharam o encontro a presidente da Comissão Especial de Defesa do Consumidor, Marié Lima Alves de Miranda, a vice-presidente da Comissão, Claudia Lima, o secretário da comissão, Gustavo Chalfun, e o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB Alagoas, Thiago Ferreira Wanderley.

“É um tema que na visão da OAB está absolutamente contrário aos interesses de todos os consumidores. Há diversas ilegalidades nessa nova resolução da Anac e vamos judicializar a questão. Estamos com uma ação civil pública preparada e achamos por bem vir aqui justamente pela importância do assunto que está diretamente vinculado ao Ministério do Turismo e que pode trazer consequência ao setor. Na medida que se penaliza o consumidor diminuiremos o número de pessoas em condições de viajar seja a trabalho, seja a lazer”, disse Lamachia ao ministro.

O titular da pasta ouviu os argumentos da OAB, manifestados também nas falas dos demais participantes do encontro, e afirmou ao presidente da Ordem que o Ministério do Turismo já fez uma consulta a associações de classes ligadas ao turismo. “Claro que o assunto envolve turismo porque todo mundo que viaja, viaja ou a turismo de lazer ou a turismo de negócios”, disse Beltrão, sob a ressalva de que não caberá a sua pasta a decisão final.

Segundo o ministro, até sexta-feira, as respostas a essa consulta serão retornadas e então o Ministério do Turismo emitirá uma nota oficial em que opinará sobre o assunto.

Durante a reunião, Lamachia entregou ao ministro do Turismo um manifesto produzido a partir do “Encontro com Entidades de Defesa do Consumidor Nacional contra a Resolução da ANAC” promovido na sede do Conselho Federal, em Brasília, sob o tema “Discussões e debates sobre o projeto da Agência Nacional de Aviação Civil que autoriza as empresas aéreas a cobrarem pelo despacho de bagagem”.

O presidente da Ordem também entregou a Beltrão cópia do parecer da Comissão Especial de Defesa do Consumidor em que são apontadas inconstitucionalidades no texto.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.