Assassino de Nice procurava detalhes sobre boate Pulse e defendeu o EI

O homem que matou 84 pessoas jogando um caminhão contra uma multidão em Nice, na semana passada, planejou o ataque com antecedência e buscou informações na internet sobre o atentado contra a boate gay Pulse, em Orlando.

Se não há elementos na investigação que sugerem, neste momento, uma submissão ao Estado Islâmico ou vínculos com indivíduos do grupo, ele [Mohamed Lahouaiej Bouhlel] demonstrou certo interesse recente em movimentos extremistas islâmicos”, disse o promotor François Moulin, que acompanha investigações terroristas.

Moulin descreveu uma radicalização rápida do homem, que no passado não era religioso. Esse movimento acelerado já havia sido mencionado, no sábado (16), pelo ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve.

O terrorista disse a pessoas próximas que tinha deixado a barba crescer por motivos religiosos e que não conseguia entender como o Estado Islâmico (EI) não podia ter seu próprio território, relatou a promotoria nesta segunda.

Uma varredura no computador e no telefone de Bouhlel identificou buscas na internet relacionadas ao EI, outros grupos extremistas e imagens violentas.Moulin contou, ainda, que Bouhlel tentou levantar dinheiro nos dias que antecederam o ataque por meio de um empréstimo bancário (negado), retirada de dinheiro e a venda de seu carro.

Ele, então, pagou cerca de US$ 1.700, em 4 de julho, para alugar o caminhão usado no ataque. E, nos dias que antecederam o atropelamento da massa, Bouhlel ensaiou o caminho pelo menos duas vezes, segundo identificado por câmeras de segurança.

O Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque, mas autoridades francesas ainda investigam qual a proximidade de Bouhlel com a facção terrorista. Com informações da Folhapress.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.