Veja as chances de cada time sair do Z-4

Por Guilherme Marçal
distância times ameaçados a quatro rodadas do fim do Brasileirão – 2Com o campeão e a maioria dos membros do G-4 praticamente definidos, a briga mais empolgante da reta final do Brasileirão promete ser contra o rebaixamento. O motivo é simples: a diferença entre o lanterna e o 15º colocado – universo que contempla os ameaçados da vez – é a menor desde 2006 (quando o campeonato passou a ser disputado por 20 equipes) a quatro rodadas do fim. Quatro dos seis times (Joinville, Vasco, Coritiba, Goiás, Avaí e Figueirense) irão cair, mas quaisquer deles tem chances de escapar. E a maioria tem os chamados “duelos de seis pontos” a disputar.

Tanta democracia entre os concorrentes dá esperança ao Joinville, 20º colocado. Com 31 pontos, o JEC pode atropelar os rivais e ultrapassar até o Figueirense, 15º, com 36, em questão de duas rodadas. Claro, dependendo de uma combinação de placares.

Se derrotar o Corinthians e os resultados ajudarem, o vice-lanterna Vasco, time em melhor fase nessa briga, pode, enfim, se ver fora da zona dos quatro últimos, o que não ocorre desde a terceira rodada.

Quatro confrontos diretos apimentam ainda mais a disputa. Só na rodada #35, teremos Goiás x Coritiba e Avaí x Joinville. Na 36ª, Joinville x Vasco medem forças, e Coritiba x Vasco é o confronto dramático reservado para a última rodada. Apenas o Figueirense não terá chance de evitar que adversários pontuem.

trocas de última hora na zona do rebaixamentoDesde 2006, cinco times fugiram da zona de rebaixamento a quatro rodadas do fim

Com seis clubes disputando a permanência, sabemos que, no máximo, somente duas mudanças podem ocorrer na zona da degola. Mas o histórico da Série A indica que apenas um time por ano foi capaz de subir na tabela e se safar nas quatro rodadas finais.

Nos anos em que houve mudanças, o próprio Avaí (hoje fora da zona, em 16º lugar) já conseguiu reagir e escapar. Por outro lado, Vasco e Coritiba – que hoje integram o Z-4 – foram para a Série B por despencarem de posição nos últimos jogos.

OBS: em 2003, o Brasileirão tinha 24 clubes, e dois foram rebaixados. No ano seguinte, a fórmula manteve 24 equipes, sendo quatro despromovidas. Em 2005, dos 22 participantes, quatro caíram para a Segundona e dois subiram, chegando ao modelo atual.

*Portuguesa foi rebaixada após julgamento no STJD.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.