‘Vai faltar dinheiro para o PCdoB’, diz Bolsonaro sobre carteira estudantil digital

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro ironizou nesta terça-feira o PCdoB ao comentar a medida provisória ( MP ) que vai instituir uma nova carteira estudantil digital no país, chamada de MP da Liberdade Estudantil. Bolsonaro afirmou que não será mais necessário pagar uma taxa para a União Nacional dos Estudantes (UNE), que é historicamente comandada pela juventude do PCdoB, e que com isso vai “faltar dinheiro” para o partido.

— Carteira digital. Vou facilitar a vida dos estudantes. Não vai ter mais que pagar para a UNE, que quem manda lá é o PCdoB. Vai faltar dinheiro para o PCdoB, hein — disse Bolsonaro, aos risos, na saída do Palácio da Alvorada.
A previsão é que a medida seja assinada na sexta-feira em um cerimônia no Palácio do Planalto, segundo informou o Ministério da Educação (MEC). Ainda segundo a pasta, na quinta-feira, em outra cerimônia no Planalto, será assinado um decreto que cria um programa que institui escolas cívico-militares, uma das principais promessas de campanha de Bolsonaro.

Em estudo desde o governo de transição, a nova carteira estudantil digital em princípio não contou com respaldo da área jurídica nem do departamento técnico Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que coleta e armazena as informações pessoais de alunos por meio dos censos educacionais.

A carteirinha teria sido um dos motivos que custou a demissão do presidente do, Inep, Elmer Vicenzi, em maio. Relatórios internos da autarquia obtidos pelo GLOBO contrariam o pedido do MEC para usar dados sigilosos de alunos na emissão do novo documento.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.