Sem coleta normal, São Luís vira cidade do lixo

Nas redes sociais, moradores da região do Centro postaram fotos e reclamaram do acúmulo de sacos de lixo nas esquinas e calçadas dos bairros

Há pelo menos quatro dias não há coleta de lixo em alguns bairros de São Luís e os detritos já se acumulam nas esquinas e calçadas, causando transtornos a moradores e perigo de proliferação de doenças, principalmente por causa das chuvas, que já começaram a atingir a capital. No início da manhã de hoje, alguns bairros começaram a receber a coleta, porém de maneira diferente da rotineira. foram vistos o veículo que faz a coleta de lixo hospitalar e um de pequeno porte, que faz coleta no Centro Histórico, realizando o recolhimento do lixo.

Mesmo com essa iniciativa, muitos pontos de acúmulo sujeira ainda permanecem na cidade e será necessária uma grande operação para debelá-los.

O internauta Marco Duailibe, postou hoje em sua página, no facebook os amontoados de lixo na Rua do Passeio, Praça da Saudade e Rua do Norte e reclamou: “Quase véspera de Natal e a cidade fica cercada de lixo por todos os lados. Alguém sabe o que está acontecendo?”.

Outro que também usou o facebook para reclamar foi Ricardo Fernandes, ao postar fotos do lixo nas ruas de São João e Alecrim. “Belo presente de Natal, as ruas de São Luís cheia de lixo…”, publicou.

Basta um passeio rápido na cidade para se encontrar vários pontos de acúmulo de lixo.

Próximo ao COA do Lira, na Praça de São Roque, no Centro, na Rua das Cajazeiras e na Esquina da Rua João Ramalho, na esquina da Rua das Cajazeiras, há montes de lixo aguardando coleta.

Com as chuvas, o lixo pode ser levado pelas vias e acumular nos bueiros, causando alagamentos.

Dívida

A edição do dia 8 deste mês, de O Estado mostrou que a Prefeitura de São Luís tem débitos de quase R$ 20 milhões com a empresa prestadora de serviços de coleta e transporte de lixo.

E se acordo com o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Silva Filho, este problema implica diretamente no serviço que é prestado à população, já que as empresas são obrigadas a recorrer a empréstimos para garantir o pagamento de funcionários e fornecedores. Esses empréstimos acabam gerando juros que não estavam previstos no orçamento inicial do contrato. “Empresas de limpeza urbana são bem enxutas. Trabalham com um orçamento enxuto”, disse Carlos Silva Filho, na ocasião.

A Prefeitura de São Luís foi procurada para tratar sobre o assunto, mas não se pronunciou.

 

 

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.