Protesto no Porto do Itaqui paralisa operações

porto_do_itaquiA direção do sindicato dos arrumadores de carga do Porto do Itaqui e funcionários do terminal de cargas estão reunidos desde o início da manhã com a direção da Empresa Maranhense de Administração Portuária para tratar de temas relacionados à segurança dos trabalhadores. Na sexta-feira (12) Luiz Carlos Diniz morreu atropelado por uma empilhadeira no berço 100 durante uma operação de apoio à retirada da plataforma Seporion que adernou em 30 de setembro de 2012

Segundo João Pereira, presidente do sindicato, o protesto teve início desde o momento do acidente, ainda na sexta-feira e tem como principal motivo a falta de segurança em vários pontos do terminal de cargas. Faltam fiscais, Hoje, segunda-feira (15), funcionários de uma das empresas que operam no Porto do Itaqui foram proibidos de operar nos berços 100, 101,102 e 103 até que o inquérito que apura as causas da morte do operário sejam esclarecidas.

Prejuízos – Um funcionário da empresa que pediu para não ser identificado informou ao Imirante.com que os transtornos ocasionados com a interrupção, além de operacional, são também financeiros. A cada dia deixam de ser carregados cerca de 20 mil toneladas de fertilizante e cargas gerais de indústria (chamadas também de cargas de projeto), o que corresponde a R$ 400 mil.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.