Proteger a pele no verão: Saiba a importância desse cuidado

Com a chegada da estação mais quente do ano, precisamos redobrar a atenção com a exposição solar. Queimaduras, manchas, fotoenvelhecimento e câncer de pele são graves consequências que podem ser evitadas. A dermatologista Fabia Oppido Schalch, da rede de centro médicos dr.consulta, que tem dermatologistas e oferece exames nesta especialidade, explica as diferentes formas de proteção e como aplicá-las.

FILTRO SOLAR  
O uso regular de filtro solar é a maneira mais eficaz de minimizar os efeitos prejudiciais do sol. Ele deve ser aplicado trinta minutos antes da exposição solar para que as devidas reações ocorram na pele. O fator de proteção (FPS) mínimo recomendado é de 30 e o ideal é que seja reaplicado depois de duas ou, no máximo, três horas.

O filtro solar escolhido tem que ser adequado para cada tipo de pele, evitando oleosidade excessiva, aparecimento de acne e alergias. Para as peles oleosas, os mais recomendados são os géis, loções oil-free ou com toque seco.

Crianças e adultos de peles sensíveis ou alérgicos podem se proteger através de roupas e chapéus feitos com materiais que oferecem proteção UV, pois não precisam efetuar reações químicas na pele.

ANTIOXIDANTES
Outra excelente medida que auxilia na proteção da pele é o uso de produtos à base de antioxidantes (vitamina C, ácido ferúlico, resveratrol, licopeno, betacaroteno, coenzima Q10), que tornam nossa pele mais resistente aos danos do sol e ajudam a reverter os danos já causados. Esses antioxidantes podem ser encontrados em cosméticos, suplementos alimentares e na ingestão de alimentos como cenoura, abóbora, manga, damasco, uva, espinafre, couve, brócolis e tomate.

HIDRATAÇÃO
É importante manter a hidratação do corpo com maior ingestão de líquidos e através de cremes hidratantes, principalmente após piscinas e praias. Para evitar oleosidade, realize diariamente higiene facial e esfoliação uma vez por semana, além do uso de cosméticos que diminuem a produção do sebo facial, sempre indicados por um dermatologista.

TRATAMENTOS
Pacientes com manchas escuras na pele (melasmas) precisam ficar atentos com o uso dos filtros solares e adicionar os antioxidantes aos tratamentos. “No verão, reduzimos a indicação dos ácidos mais fortes, pois existe a possibilidade de irritação, mas o tratamento é mantido com clareadores menos sensibilizantes.”, explica Fabia.

Os tratamentos de consultório também ficam mais suaves por causa do risco da exposição solar. Algumas alternativas: peelings físicos (esfoliação por ação física, sem ácidos), lasers menos agressivos e máscaras clareadoras. Nesses casos, os fotoprotetores mais indicados são os que contêm coloração de base e fatores acima de 60.

NOVIDADE
Já estão sendo testados adesivos que podem ser colocados na pele para fazer a dosagem da radiação UV no momento da exposição. Pretende-se, com essa medida, uma nova conscientização da população a respeito dos danos causados pelo sol.

DEZEMBRO LARANJA   
Em dezembro, a Sociedade Brasileira de Dermatologia se une para a realização do “Dezembro Laranja”, mês para a conscientização da população sobre o câncer de pele, o tipo de câncer que mais prevalente. É importante estar sempre atento às pintas e pequenas feridas que não cicatrizam.

você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.