Projeto Salangô: Governo do Maranhão trabalha para aumentar a produção

 

O grande objetivo da revitalização do Projeto Salangô é transformar o grande potencial produtivo existente na cidade de São Mateus em resultados concretos, a serem vistos na mesa dos maranhenses. Por isso, além de obras de infraestrutura, o Governo do Maranhão investe no aumento da produção no perímetro, com insumos, assistência técnica e regularização fundiária.

Secretário Márcio Honaiser destacou o incentivo à produção de hortifrutis. (Foto: Gilson Teixeira/Secap)

Secretário Márcio Honaiser destacou o incentivo à produção de hortifrutis. (Foto: Gilson Teixeira/Secap)

“O Salangô é muito mais que arroz e tem potencial para outras culturas importantes. Estamos incentivando a produção de hortifrutis, que tem bom valor de mercado e rentabilidade, aumentando assim a renda dos agricultores”, explica o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Márcio Honaiser. Para oferecer essas alternativas, a equipe do governo realizou estudos de viabilidade econômica e já iniciou a implantação de culturas de hortifrutis e de feijão, além de ajustes para, em breve, incentivar a piscicultura.

Atualmente, no projeto Salangô, os agricultores plantam melancia, melão, milho verde, maracujá, maxixe e quiabo, contando com assistência técnica e sementes, além do apoio do governo para a comercialização dos produtos. Em 2017, com a ampliação da assistência técnica, que será executada pela Sagrima em parceria com a Agência Estadual de Pesquisa e Extensão Rural (Agerp), e capacitação, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), será possível produzir ainda mais. Até o final do primeiro semestre do ano que vem, cada agricultor receberá um kit de irrigação para um hectare dos quatro que terá direito.

foto-4-salango-ii-foto-gilson-teixeira-4Este ano, a produção alcança uma área de 317 hectares do Projeto Salangô. A estimativa da Sagrima para o próximo ano é praticamente dobrar essa marca, para uma área de 600 hectares, a partir da produção de hortifrutis e sementes de arroz.

Cláudio Farias está no projeto há cinco anos, plantando maxixe, quiabo e outras hortaliças e tem grandes expectativas para 2017. “Estou achando muito boa a iniciativa do governo em dar atenção e revitalizar o projeto Salangô, assessorando o trabalhador rural. Espero que a gente tenha acompanhamento, que as coisas melhorem e a gente possa colher muita coisa. Acho que o povo do Maranhão vai ganhar muito com esse trabalho”, disse.

Regularização fundiária

O Instituto de Terras e Colonização do Maranhão (Iterma) é parceiro do Projeto Salangô e vem realizando o trabalho de regularização fundiária, para que os agricultores possam, já no início de 2017, ter a titulação de suas terras. O Iterma vem discutindo esse processo com as associações de assentados.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.