Programa Bolsa Escola (Mais Bolsa Família) será continuado em 2017 e 2018

Em entrevista realizada na Rádio Timbira manhã desta quinta-feira (15), o governador Flávio Dino garantiu a continuidade de investimentos em programas e equipamentos sociais como o Bolsa Escola (Mais Bolsa Família) e a ampliação dos restaurantes populares. Na ocasião, o governador falou desse e de outros temas durante balanço dos dois anos de gestão do Governo do Maranhão.

“Enquanto em outros estados brasileiros se tem a ideia de corte de programas e direitos sociais adquiridos, no Maranhão nós economizamos em despesas de custeio com supérfluos para continuar esses investimentos. Só no primeiro ano de nosso governo por exemplo, cortamos R$ 300 milhões que eram gastos com aviões, flores, banquetes para investimentos no estado e para o Bolsa Escola (Mais Bolsa Família) temos o recurso do Fundo Maranhense de Combate à Pobreza (FUMACOP) que vai continuar financiando o programa em 2017 e 2018”, afirmou o governador.

Flávio Dino comentou ainda do impacto econômico e social que o programa gera no estado. “Ele propicia que as crianças não saiam mais para a escola com uma folha de papel, descalças por exemplo. Além disso, só no começo de 2017, no mês de janeiro que é um mês complicado para o comércio, 1.400 estabelecimentos poderão se beneficiar com os quase R$ 60 milhões que estarão na mão dessas mães maranhenses”, destacou.

Além do Bolsa Escola, o governador falou da ampliação dos restaurantes populares alcançada nos últimos dois anos. “Recebemos apenas 6 restaurantes populares funcionando apenas em São luís. além de reformarmos essas unidades, ampliamos a rede para 13 restaurantes e chegando ao interior”, destacou Flávio Dino.

O programa Bolsa Escola (Mais Bolsa Família), que beneficiou milhares de famílias em 2016, passará a atender a um número ainda maior de estudantes em 2017. (Foto: Divulgação/Sedes)

 

O programa Bolsa Escola (Mais Bolsa Família), que beneficiou milhares de famílias em 2016, passará a atender a um número ainda maior de estudantes em 2017. (Foto: Divulgação/Sedes)

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.