Presidente do Moto Clube desmente Sérgio Frota

Em nota divulgada na manhã desta terça-feira (1º), o presidente do Moto Club de São Luís, Hans Nina, desautorizou o deputado estadual Sérgio Frota (PSDB) a falar em nome do clube.

Ontem, na tentativa de justificar a estranha negociação envolvendo a venda do Centro de Treinamento do Sampaio para uma empresa de investimentos imobiliários, o presidente boliviano sugeriu que o CT Pereira dos Santos também não pertencia ao Moto.

No texto, Nina rebateu as insinuações de Frota, afirmando que as instalações pertencem sim ao patrimônio do time, ao contrário da área de treinamento do Sampaio.

“O CT Pereira dos Santos, doado pelo ex-presidente de mesmo nome, é de propriedade do Centro Motense, associação de torcedores, com personalidade jurídica própria, e cedido para uso ao Moto Club, não tendo sido objeto de venda, negociação, hipoteca, penhora ou loteamento, sob quaisquer pretextos”, afirmou o dirigente motense.

Leia a nota na íntegra:

“Considerando nota veiculada na imprensa e nas redes sociais, emitida pelo senhor Sérgio Frota, presidente da agremiação Sampaio Correa;

O Moto Club de São Luís, representando pelo seu presidente, ressalta:

1 – Que os problemas que envolvem a posse e propriedade do Centro de Treinamento do Sampaio são de sua inteira responsabilidade, e que qualquer menção ao CT utilizado pelo Moto é desnecessária e descabida, tendo em vista, inclusive, que as circunstâncias apresentadas pela imprensa demonstram serem situações jurídicas completamente diversas. O CT Pereira dos Santos, doado pelo ex presidente de mesmo nome, é de propriedade do Centro Motense, associação de torcedores, com personalidade jurídica própria, e cedido para uso ao Moto Club, não tendo sido objeto de venda, negociação, hipoteca, penhora ou loteamento, sob quaisquer pretextos.

2 – Que causa estranheza e preocupação que o ex presidente da AMA Clubes, entidade de clubes de futebol do Maranhão, fundada com a finalidade de defender os interesses de TODOS os times, afirme que “tirando o Sampaio, o futebol maranhense não existe”. Pensamos que, conforme já declarou diversas vezes, na condição de parlamentar, deveria ser um defensor do esporte e não, apenas, torcedor investido na função pública.

Assim, ressaltamos que manteremos nossas lutas, caminhadas, projetos e reivindicações pelo esporte e pelo Moto Club de São Luís, acreditando que os benefícios proporcionados a uns sejam garantidos a todos, e que nossa entidade não seja mencionada como forma de erguer possível cortina de fumaça para problemas alheios.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.