Prefeitura realiza fiscalização em abrigos sanitários de clínicas e hospitais particulares

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realiza fiscalizações em abrigos sanitários de clínicas e hospitais particulares. O objetivo do trabalho, executado pela Vigilância em Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária Municipal, é garantir as condições adequadas de armazenamento dos resíduos sólidos (lixo infectante e lixo comum).
Nas ações, os fiscais informam as normas a serem cumpridas para prevenir a população exposta àquele ambiente e garantir menor impacto ambiental. Além disso, os técnicos da Vigilância Sanitária verificam determinados itens, como o tamanho dos depósitos utilizados no descarte, a colocação dos ralos nos abrigos e dos pontos de luz, dentre outros.
A secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe, destaca o trabalho realizado pela Vigilância Sanitária. “Conforme orientação do prefeito Edivaldo, nossas equipes reforçam as ações de proteção à saúde da população. Com este trabalho, minimizamos os riscos de infecção à população e garantimos o cumprimento das normas sanitárias, exigidas em lei”, disse.
Duas equipes técnicas percorrem as clínicas e os hospitais, sempre aos finais de semana. Até o momento, 12 locais foram alvos da fiscalização dos técnicos do órgão. Na maioria dos casos, foram encontradas irregularidades no armazenamento dos resíduos sólidos.
Nestes casos, o proprietário do local vistoriado precisa comparecer até a sede da Vigilância Sanitária para apresentar, em até 15 dias, um relatório sobre as ações desenvolvidas, no sentido de adequar o abrigo vistoriado às condições sanitárias.
FISCALIZAÇÃO
A Vigilância Sanitária Municipal também finalizou o trabalho de fiscalização do acondicionamento dos alimentos por parte dos vendedores ambulantes, nos arraiais da capital maranhense. O trabalho da Vigilância se intensificou nos arraiais de maior demanda de público (Maria Aragão, do Ceprama, Vila Palmeira, Ipem e Praça Nauro Machado), além dos arraiais localizados nos bairros. No total, mais de 600 vendedores foram alvos da fiscalização.
Além da forma de armazenamento dos produtos, durante a fiscalização nos arraiais, os técnicos da Vigilância também verificaram se os vendedores possuíam os itens corretos para a comercialização de alimentos, como toucas, luvas e aventais.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.