Prefeitura de São Luís oferece suporte psicológico exclusivo a profissionais de saúde durante a pandemia da Covid-19

O aumento da demanda de pacientes nas unidades de saúde durante a pandemia da Covid-19 tem ampliado também o nível de estresse na rotina diária dos profissionais que atuam diretamente no tratamento da doença. Para evitar o surgimento ou agravamento de problemas emocionais entre os profissionais de saúde, a Prefeitura de São Luís disponibilizou um serviço telefônico por meio do qual podem receber assistência psicológica. Aqueles que estão sendo afastados de suas funções por terem contraído a doença durante o atendimento aos pacientes também estão sendo assistidos.

O serviço de assistência psicológica está sendo prestado pelo Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde (Semus). O atendimento é feito exclusivamente por meio de ligação telefônica para o número (98) 98298-0797 de segunda-feira a sexta-feira, das 8h ao meio-dia e das 14h às 18h. 

Durante o atendimento, um profissional de psicologia ouve o paciente, que pode ser um médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, fisioterapeuta, terapeutas ocupacional ou outro que esteja atuando no atendimento aos pacientes diagnosticados com Covid-19. A escuta é para saber sobre as possíveis aflições psicológicas e danos emocionais causados pelo estresse gerado pela natureza do trabalho.

Após o depoimento, o psicólogo traça o perfil do servidor para elaborar um diagnóstico e prescrição de tratamento, se necessário. Em alguns casos podem ser recomendadas práticas integrativas ou outras medidas que promovam o relaxamento deste profissional como o incentivo à leitura e atividades que desestimulem a alta tensão da rotina laborativa.

Desta forma, a Prefeitura previne maiores consequências decorrentes do estresse gerado pelo atendimento em cenário de pandemia, e evita o agravamento de possíveis quadros depressivos entre estes trabalhadores, e aqueles afastados em virtude da interrupção abrupta e necessária de suas rotinas.

Os profissionais que atuam no Socorrão I contam com um serviço de atendimento disponibilizado pela própria unidade, voltado para os trabalhadores que apresentem sintomas da doença. Quando o profissional adoece, é afastado de suas funções preventivamente e uma equipe de enfermeiros faz a triagem do seu quadro clínico.

Após isto, o colaborador pode ser encaminhado para o teleatendimento médico ou psicológico, dependendo do caso. Ao longo de 14 dias este profissional tem seu quadro clínico acompanhado e havendo  suspensão dos sintomas ele pode retomar as suas atividades.

Fonte: Agência São Luís

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.