Planos de saúde não podem limitar número de sessões psicoterápicas, alerta Procon/MA

No mês em que se promove a campanha do Setembro Amarelo, que tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre a prevenção ao suicídio, o Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) alerta consumidores para a responsabilidade dos planos de saúde na garantia de tratamentos psicológicos.

As operadoras de planos de saúde não podem estabelecer um número de consultas anuais para tratamentos psicoterápicos, sendo abusiva a cláusula contratual que assim dispuser, por colocar o consumidor em situação de desvantagem exagerada, conforme o Artigo 51, IV, do Código de Defesa do Consumidor (CDC). 

O Procon/MA alerta que a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), quando do julgamento do Recurso Especial nº 1.642.255-MS, também firmou entendimento nesse sentido.

Somente o profissional de saúde capacitado e responsável pelo paciente tem autonomia para prescrever a quantidade de sessões de acordo com as necessidades de cada paciente. A interrupção do tratamento por esgotamento do número de sessões anuais por parte dos planos de saúde é uma prática abusiva e, portanto, vedada pelo CDC.

“Negar ou restringir o tratamento psicológico prescrito pelo profissional especializado é uma conduta abusiva, ilegal e que contraria os princípios básicos que regem a relação consumerista”, reforça a assessora Jurídica do Procon/MA, Jéssica Ferreira.

Caso o plano de saúde se recuse a realizar a cobertura total do tratamento, o consumidor pode formalizar uma reclamação junto ao Procon/MA por meio do app, site (www.procon.ma.gov.br) ou em uma das unidades físicas de atendimento do órgão no Estado.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.