Pediatra dá dicas de como prevenir gripes e resfriados

Com a chegada do período de chuvas no Maranhão, cresce o número de internações de pessoas com quadro de gripe ou resfriado, sobretudo de crianças. Em Bacabal, por exemplo, o Hospital Materno da cidade está cheio de crianças com casos de pneumonia e bronquite. Cuidados básicos – como hidratar bem a criança, com água ou sucos – podem evitar o problema.

Consultado pelo Imirante.com, o pediatra Cláudio Araújo explica que há diferenças entre resfriado e gripe. “Para muita gente, gripe e resfriado é a mesma coisa. Na realidade, não é. O resfriado acomete mais as narinas, o que a gente chama de parte superior da árvore respiratória, com quadro de espirros, secreção clara saindo pelo nariz e, às vezes, obstrução nasal. Esse é o quadro do resfriado, que, normalmente, dá uma dor no corpo e uma febrezinha baixa. A gripe, não. A gripe além desse quadro de obstrução, de coriza e de espirro, a secreção desce para a árvore inferior, já atinge os brônquios e os pulmões, causando aquela tosse mais ‘secretiva’, febre mais prolongada e, normalmente, as gripes são mais sujeitas a infecções secundárias, ou seja, a criança ou adulto portadora de uma gripe deve ter mais cuidado, porque pode evoluir para uma bronquite ou até para uma pneumonia”, disse

Prevenção e tratamento

Para prevenir o quadro de gripe, os pais devem estar atentos à hidratação das crianças. Outros cuidados básicos de higiene pessoal, também, ajudam na prevenção contra a gripe ou resfriado. “Tanto para o resfriado quanto para a gripe, a prevenção básica é você hidratar a criança, deixar a criança sempre muito bem hidratada, com líquidos leves, como água e sucos naturais; lavar bem as mãos – criar o hábito, desde a criança pequena, até a maior e o adulto –, principalmente, aquelas crianças que já são portadoras de um resfriado ou de uma gripe, porque, normalmente, ela põe a mão no nariz, leva para o corpo, pode pegar outra criança e aquele é um fator de contaminação; e, também, evitar, principalmente, em período epidêmico, ambientes fechados ou com aglomerado de pessoas”, esclarece.

Se os sintomas permanecerem após três dias, é necessário procurar um serviço médico para que o quadro não evolua de forma diferente, alerta Araújo. Não há um tratamento específico: nos resfriados, medicamentos sintomáticos contra a febre podem ser utilizados – com a orientação de um profissional médico –, mas o repouso é o mais recomendado; já para a gripe, podem ser utilizados remédios expectorantes, nebulizações, lavagens nasais e medicamentos sintomáticos, dependendo do grau da doença.

Mito e vacinação

Questionado sobre o uso de ácido ascórbico, ou vitamina C, para prevenção da gripe, o especialista afirma que se trata de um mito, já que, no máximo, ela pode ajudar a aumentar a defesa e, assim, favorecer a recuperação.

O médico ressalta, no entanto, a importância para a vacinação contra a gripe, que deve ocorrer já a partir dos seis meses de idade. “A vacina da gripe, da Influenza, ela é muito importante. Desde o advento da vacina, conseguiu-se diminuir bastante um número de gripes por Influenza, processos gripais por Influenza e seus efeitos colaterais. Então, a partir do sexto mês de vida, é muito importante a prevenção da gripe pela vacina, principalmente em crianças que vão, precocemente, para escolas e creches”, conclui.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.