Pais e responsáveis devem redobrar a atenção com as crianças no período de férias escolares

No período de férias escolares, pais e responsáveis devem redobrar os cuidados com as crianças para que os momentos de lazer não acabem virando um “pesadelo”. E para evitar acidentes, tanto em ambientes domésticos ou externos, bastam medidas simples de prevenção e estar atento para alguns perigos. Em casa, por exemplo, deve-se evitar o acesso facilitado das crianças ao fogão, botijão de gás, tomadas, baldes, talheres e objetos cortantes.

Segundo as estatísticas, os campeões em atendimentos em prontos-socorros durante as férias são queimaduras, intoxicações, quedas e afogamentos. Traumas e fraturas, também, relativamente comuns, em grande parte, acontecidas dentro de casa. O pediatra Cláudio Araújo recomenda a presença dos pais durante as brincadeiras. “Os maiores cuidados básicos são as atenções que os pais, os adultos devem ter com as crianças. Nesse período de brincadeiras, eles devem estar sempre presentes, ao lado da criança, acompanhando sua diversão e, com isso, você já evita grande parte dos acidentes”, disse em entrevista ao Imirante nesta segunda-feira (15).

“Os acidentes podem ser evitados da seguinte maneira: por exemplo, em casa, você afastar as mobílias perigosas, como mesas pontiagudas; cadeiras, que podem ser facilmente subidas e onde as crianças podem cair; colocar proteção nas tomadas, onde as crianças podem tomar choque; isolar as cozinhas; isolar, também, por meio de redes de proteção, as janelas; se for o caso de dois andares o condomínio, evitar que as crianças tenham acesso à escada; e não deixar os remédios e produtos químicos ao alcance das crianças”, orienta o especialista.

Além desses cuidados, os pais ou responsáveis devem evitar que as crianças brinquem em áreas de circulação de veículos e, se os “pequenos” são adeptos a brincar de bicicleta ou skate, devem estar sempre com as proteções, como capacete e joelheiras.

Praia e clubes

Em praias e clubes, os adultos devem estar sempre próximos das crianças e preferir locais onde hajam salva-vidas ou pessoas capacitadas para prestar os primeiros socorros. “Em praia, quando não há a presença de salva-vidas, deve haver a presença do pai. Isso é importante, e do lado da criança. Até o trajeto até a praia. Muitas crianças, ainda, andam no colo da mãe no banco da frente do carro. Isso é básico: criança de até 12 anos de idade tem que andar no banco de trás, e as crianças pequenininhas em cadeiras especiais para cada faixa de idade. Na praia ou no clube, você deve ir a um lugar onde o salva-vidas esteja presente, solicitar a presença, até, dele aos serviços públicos”, diz.

E, se mesmo com todos os cuidados, algum acidente acontecer, deve-se levar a criança ao hospital para o atendimento necessário, ou, em caso de dúvida, procurar o profissional pediatra de confiança da família. “Você deve levar a criança, sempre, ao hospital. Dependendo do grau do acidente, seja um afogamento, ingestão de medicamentos, queda com traumatismo craniano, você não pode deixar a criança em casa, tem que levar, de imediato, ao hospital mais próximo”, finaliza.cuidadoscria15072013-300x225

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.