HSBC divulga em comunicado, que pagará cerca de US$ 43 milhões (R$

O HSBC divulgou nesta quinta-feira, em comunicado, que pagará cerca de US$ 43 milhões (R$ 134,5 milhões) como parte de um acordo para encerrar a investigação do Ministério Público de Genebra sobre lavagem de dinheiro na filial suíça do banco, no caso que ficou conhecido como SwissLeaks. Os promotores do MP suíço investigam o banco e funcionários suspeitos de auxiliar clientes, inclusive brasileiros, a lavar dinheiro e sonegar impostos na filial do país. Apesar do pagamento, o banco não admitiu culpa no caso.
No comunicado, o HSBC informou que melhorou suas práticas para evitar que clientes usem o banco “para sonegar impostos ou lavar dinheiro”, e reduziu drasticamente o número de contas na Suíça, de 30 mil para 10 mil. O acordo e a compensação financeira devem encerrar o caso.
A investigação começou após o ex-técnico de informática do banco Hervé Falciani vazar uma lista de milhares de suspeitos de evasão fiscal às autoridades francesas em 2008. A França compartilhou a lista com outras investigações abertas em outros países, como o Brasil.
O caso ganhou repercussão depois de o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos obter a lista de clientes do banco. Em março deste ano, O GLOBO passou a integrar a equipe de apuração do SwissLeaks e publicou uma série de reportagens sobre o escândalo.
De acordo com o jornal francês “Le Monde”, que iniciou a investigação sobre o caso, cerca de €180,6 milhões pertencentes a mais de 100 mil clientes e 20 mil pessoas jurídicas transitaram entre novembro de 2006 e março de 2007 por contas bancárias na Suíça, escondidos atrás de sociedades offshore.
No Brasil, no fim de março deste ano, a Secretaria da Receita Federal recebeu 8.732 arquivos eletrônicos do HSBC, que são investigados por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso. A Polícia Federal e a Receita estão investigando brasileiros que tinham contas na filial suíça do HSBC.
Além da Suíça, foram abertos processos na Argentina, Bélgica e França contra o banco. A quantia prevista pelo acordo equivale a 0,4% do valor de mercado do banco.
A assessoria do HSBC no Brasil informou que os US$ 43 milhões propostos no acordo não são uma multa:
“Multas são pagas quando a investigação conclui que a companhia é culpada. No caso do HSBC Private Bank Suíça, a investigação foi formalmente encerrada sem a imposição de uma multa”, informou o comunicado. “A investigação foi encerrada pela falta de evidências que justificassem ações criminais, e o banco pagará 40 milhões de francos suíços para as autoridades de Genebra como compensação por deficiências organizacionais passadas”, destaca a nota. [O GLOBO]

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.