Museu da FMRB será destaque na 65ª Reunião Anual da SBPC

estusbmspems-300x225O Museu da Fundação da Memória Republicana Brasileira, com sede no Convento das Mercês, será destaque na 65ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Os estudantes de Turismo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Rayanne Pereira, Moseyevenny Pinheiro e Jean Rousseau Lira, apresentarão fruto de pesquisa sobre a casa de cultura que guarda acervos que contam a trajetória política de José Sarney enquanto presidente do Brasil.

Um dos objetivos do trabalho é consolidar o Museu da Fundação da Memória Republicana Brasileira como um grande Centro de Divulgação e Documentação Presidencial. Fomentar o museu através da pesquisa nas escolas; estimular a visitação da comunidade e turistas no museu e contribuir, para a inserção do mesmo na rota de visitação dos pontos turísticos do Centro Histórico de São Luís.

Os estudantes, que estagiaram como guias no museu, observaram que boa parte das pessoas que visitava a Fundação chegava ao local apenas com o interesse de conhecer a construção histórica e, segundo eles, os visitantes, em que se incluem turistas e moradores da cidade, se admiravam quando tomavam conhecimento de que no local também havia um museu que preserva e conserva parte da história republicana do país.

“O prédio tem sua importância histórica na cidade, porque é uma construção colonial que preserva muito de suas características originais. Mas há mais do que isso. O trabalho tem a proposta de tirar esse estereótipo de que o Convento das Mercês tem espaço para o Vale Festejar e desfazer essa ligação política bastante enraizada no senso comum. O museu é importante para a comunidade, importante para o turismo da cidade”, afirmou Jean Rousseau Lira.

Segundo os estudantes, o Convento das Mercês esteve por algum tempo fora dos roteiros turísticos pelo Centro Histórico de São Luís por estar localizado em uma área mais periférica da região. Essa informação aliada à questão da pouca segurança na localidade também afastou os visitantes.

“Por mais que esteja distante da região mais visitada do Centro, queremos mostrar que vale a pena conhecer o museu, principalmente porque é uma dos mais estruturados da cidade. Só o fato de ter acessibilidade já é uma grande vantagem para o público. A gente que trabalha com turismo sabe que é difícil para muitos portadores de necessidades especiais terem acesso a esses espaços quando localizados em prédios históricos”, comentou Rayanne Pereira.

Os estudantes pretendem ampliar o trabalho futuramente enfocando outros projetos desenvolvidos pela Fundação, entre eles as atividades de cunho social como forma de inserir a comunidade dentro do museu e democratizar esse espaço.

Para a presidente da Fundação, a advogada Anna Graziella Costa, parabenizou o trabalho dos ex-estagiários e ressaltou que a FMRB tem se dedicado cotidianamente para fazer da instituição mais do que um ‘museu’ em acepção estática, mas um centro de difusão e fomento da Cultura, da História, da Literatura e das Artes. “Queremos que não apenas eles, mas outros estudantes e professores também possam usufruir deste espaço, torná-lo corpus de estudos, mas que usufruam do rico acervo bibliográfico que temos aqui como fonte de pesquisa”, disse.

Desde que foi reaberto ao público, dia 8 de outubro do ano passado, o Museu da Fundação da Memória Republicana Brasileira já recebeu 12.287 visitantes que, além das visitas guiadas, participaram de atividades diversas promovidas pela instituição. A FMRB administra um dos mais importantes acervos da memória política contemporânea do país que inclui mais de 40 mil itens.

As peças foram doadas ao Governo do Estado do Maranhão, em 2011 e, conforme a Lei Estadual nº 9.650, de 27 de julho de 2012, passou a compor o acervo da Fundação, entidade vinculada à Secretaria de Estado de Educação (Seduc). A coleção da FMRB tem aproximadamente 5 mil peças museológicas entre peças de arte sacra, esculturas, gravuras e trajes oficiais, medalhas, condecorações e presente dados por populares ao presidente.

Mais

Atualmente, o acervo museológico estará, provisoriamente, fechado em razão de novas e modernas adaptações que estão sendo feita para receber nova exposição, a ser aberta ao público ainda neste segundo semestre. Até lá, a FMRB estará aberta apenas para visitação ao prédio histórico, considero um dos mais belos monumentos da arquitetura colonial de São Luís.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.