Mulher de preso é flagrada pulando muro de delegacia em Estreito

Ousadia e desrespeito são palavras brandas para definir a atitude de Viviane Morais do Nascimento, ela é esposa de Rafael Saraiva Silva, preso ontem pela Polícia Civil após realizarem roubos e assaltos na cidade.

Rafael permanece preso na carceragem da delegacia de Estreito, até que sua transferência seja ordenada e concluída. E foi exatamente por este motivo que sua esposa acabou entrando em uma grande fria.

Acreditando ser mais esperta que os policiais, Viviane simplesmente invadiu a delegacia, entortando o arame farpado que fica sob o muro que foi pulado por ela na sequência e assim ela conseguiu adentrar as dependências da delegacia.

A atitude audaciosa e transgressora de Viviane não parou por aí, uma vez dentro do pátio da delegacia que dava acesso as janelas da carceragem, ela atirou para a parte interna da cela um papel enrolado com cigarros. Neste instante o carcereiro dava água aos presos, flagrando assim papel atirado por Viviane caindo dentro da cela. Após Viviane ter concretizado o seu objetivo, retornou para o mesmo muro que pulou ao entrar, fazendo o mesmo para sair, mas quando ela achava que tinha conseguido escapar pulando de volta acabou sendo perseguida e detida pelos policiais. Os investigadores acionaram então a Guarda Municipal e juntamente fizeram uma revista minuciosa na cela. Minutos depois os cigarros e um esqueiro foram encontrados e o episódio comunicado ao delegado, que ordenou que fosse dada voz de prisão p12733648_842670055877073_6625640306019023870_nara Viviane.

Na delegacia o único espaço aberto ao público e de acesso livre é a “permanência” (recepção), sendo que todas as outras áreas da delegacia são consideradas “área de segurança” com acesso restrito. A presença de alguém dentro das dependências da delegacia só pode ser feita com autorização de um policial ou em companhia deste.

Viviane foi autuada pelo artigo 150 do Código Penal, Violação de domicílio. Ela assinou o Termo Circunstanciado de Ocorrência e foi liberada, ela será chamada a presença do Juiz de direito e um representante do Ministério Público onde poderá ser punida.

Fique esclarecido, adentrar, invadir, pular, burlar e qualquer outra forma que se entre em uma delegacia sem autorização, constitui crime e pode lhe render uma grande dor de cabeça. Neste caso a situação se agrava pela entrada de material não autorizado na cela, poderia ser uma arma para ferir os policiais, drogas e até um celular, embora fossem cigarros que ela atirou para parte interna, leva-se em consideração sua conduta desafiadora e transgressora.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.