Ministério Público pede que justiça determine concurso em Itapecuru-MA

Prefeitura de Itapecuru-Mirim, cidade distante 96 km de São Luís, é alvo de uma Ação Civil Pública do Ministério Público do Maranhão por conta de contratos précarios de trabalho e da não realização de concurso público no município. A ação foi protocolada na justiça dia 11 de junho.

O Minsitério Público diz que o último concurso público realizado pela Prefeitura de Itapecuru-Mirim foi em 2013. Quando o prefeito Miguel Lauand Fonseca (PRB) assumiu, ele promoveu um seletivo, mas os cargos ofertados neste processo deveriam ser ocupados por meio de concurso público, pois “não são comissionados e nem gerados por necessidade temporária”.

Os cargos são de vigia, professor, digitador, enfermeiro, farmacêutico, médico, psicólogo, pedagogo e assistente social. “Ilegal e imoral o provimento dos mesmos por contratos precários”, disse a promotora de justiça Flávia Valéria Nava Silva.

A denúncia feita pelo MP-MA é baseada em levantamentos do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Itapecuru-Mirim. O sindicato encontrou irregularidades ainda como a contratação de outros servidores sem seletivo e alguns estão recebendo seus vencimentos sem trabalhar, além daqueles que passaram por seletivo, mas não tem perspectiva de contratação.

Assim, o Ministério Público quer que a justiça proíba contratações para cargos de atividade-fim sem a realização de concurso público.

O pedido chegou que à justiça é também para “a contratação de instituição para realizar o certame, com lançamento de edital para provimento de todos os cargos atualmente ocupados irregularmente, em prazo de até 90 dias”.

O MP-MA sugeriu ainda que a multa seja de R$ 5 mil por dia em caso de descumprimento cobrados diretamente ao prefeito Miguel Lauand Fonseca.

Fonte G1

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.