Médico suspeito de deformar rostos de pacientes é preso em Goiânia

O médico Wesley Murakami foi preso, nesta sexta-feira (21), em Goiânia, por suspeita de deformar rostos de pacientes durante tratamentos estéticos em Goiás e no Distrito Federal. Ele já tinha sido condenado a indenizar uma mulher que ficou com deformidades após passar por procedimento em Goiânia. Além dele, foram detidas a mãe do médico e a dona de uma clínica.

Advogado de Murakami, André Bueno informou, em nota, que “está indo para a delegacia em Brasília para tomar conhecimento das razões dos pedidos de prisão e, ao final do dia, emitirá uma nota esclarecendo os fatos”.

A prisão foi pedida pela Polícia Civil do Distrito Federal, onde 15 pacientes alegam que tiveram deformidades no rosto após serem atendidas pelo médico. Em Goiás, também há 14 denúncias contra Murakami.

São investigados os crimes de lesão corporal gravíssima, associação criminosa e aplicação de produto de origem ignorada ou adulterada.

Policiais arrombam porta do consultório do médico Wesley Murakami para cumprir mandados de busca e apreensão em Goiânia, Goiás — Foto: Giovana Dourado/ TV Anhanguera

Policiais arrombam porta do consultório do médico Wesley Murakami para cumprir mandados de busca e apreensão em Goiânia, Goiás — Foto: Giovana Dourado/ TV Anhanguera

Batizada de Operação Dismorfia, a ação policial também cumpriu cinco mandados de busca e apreensão. Foram apreendidos medicamentos, prontuários e computadores no consúltorio do médico em Goiânia.

Os policiais explicaram que as prisões são temporárias. Os detidos foram levados para Brasília, onde serão interrogados.

De acordo com a corporação, a mãe de Murakami foi presa porque ela é uma das administradoras da clínica. A outra mulher detida é, segundo a defesa do médico, dona de uma clínica em Brasília.

Preso médico acusado de deformar pacientes durante tratamentos estéticos

Preso médico acusado de deformar pacientes durante tratamentos estéticos

CRM interditado

Nos Conselhos Regionais de Medicina de Goiás (Cremego) e do Distrito Federal (CRM-DF) o CRM dele consta como em “Interdição cautelar – total de 14/12/2018 a não informado”. A assessoria de imprensa do Cremego explicou, por telefone, que isso significa que ele não pode atuar como médico pelo tempo determinado pela interdição, que tem validade em território nacional.

Wesley realiza tratamentos estéticos conhecidos como bioplastia. Durante o procedimento, uma substância conhecida como polimetilmetacrilato (PMMA) – um tipo de plástico líquido usado para preenchimento – é injetada sob a pele por meio de uma seringa. A área a ser contemplada fica, geralmente, no rosto.

O profissional já havia dito que “o inchaço após qualquer procedimento é normal”. Ele declarou ainda que, “após seis meses, normalmente, o inchaço já acabou e não há mudança na área modificada”.

Empresário Alexandre Garzon diz que ficou deformado após ser atendido pelo médico Wesley Murakami  — Foto: Reprodução/TV Globo

Empresário Alexandre Garzon diz que ficou deformado após ser atendido pelo médico Wesley Murakami — Foto: Reprodução/TV Globo

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.