Justiça decreta prisão preventiva do cônsul alemão acusado de matar o marido

Juiz também determinou a inclusão do nome do cônsul Uwe Herbert Hahn na lista de foragidos da Interpol

O juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal da Capital do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro e decretou a prisão preventiva do cônsul alemão Uwe Herbert Hahn, acusado pela morte de seu marido o belga Walter Henri Maximilien Biot no dia 5 de agosto.

O magistrado determinou, ainda, a inclusão do nome do cônsul na lista de foragidos da Interpol, em razão do acusado ter embarcado para a Alemanha no domingo (28), após obter habeas corpus no dia 25.

O juiz determinou a expedição de ofício à Polícia Federal, comunicando a existência de mandado de prisão contra o cônsul para incluí-lo no banco internacional de procurados e foragidos da Interpol.

Sobre o crime

O crime aconteceu na noite do dia 5 de agosto, na cobertura em que o casal morava, no bairro de Ipanema, na Zona Sul do Rio.

De acordo com o laudo do inquérito policial, a vítima apresentava mais de 30 lesões na cabeça, no tronco e nos membros, apontando para espancamento.

A causa da morte do belga Walter Biot foi traumatismo craniano. De acordo com a denúncia do Ministério Público, “o crime foi praticado com emprego de meio cruel: severo espancamento a que a vítima foi submetida, causando intenso e desnecessário sofrimento”.

Fonte: CNN BRASIL

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.