Jogador do Atlético Sorocaba relata marmelada após time perder de 9 a 0 para o Santo André

Um jogador que participou da derrota do Atlético Sorocaba por 9 a 0 para o Santo André, pelo Campeonato Paulista sub-20 de 2015, afirmou que alguns jogadores da equipe sorocabana receberam R$ 200 cada para entregar o jogo . A partida, aliás, deu início à investigação que levou à operação Game Over, encabeçada pelo Drade (Delegacia de Repressão aos Crimes de Intolerância Esportiva), que prendeu oito pessoas acusadas de manipular resultados no futebol – uma delas em Sorocaba.

Na última quarta-feira, o goleiro da equipe, Micael Ivo dos Santos disse ao GloboEsporte.com que eles “fizeram o que foi pedido”, mas não entrou em detalhes.

Nesse novo relato, um outro jogador da equipe, que pediu para ter sua identidade preservada por medo de alguma retaliação, revelou detalhes de como foi o dia da partida, o momento em que houve o pedido para perderem o jogo e até o valor que os atletas receberam para sair de campo derrotados.

Foi no vestiário que falaram para todos que tínhamos de perder de três gols de diferença. Aí, no segundo tempo, o time praticamente ficou parado em campo”
Jogador do time sub-20 do Atlético Sorocaba

– Eu só fui perceber que tinha algo errado no fim do primeiro tempo. Alguns jogadores sabiam antes, mas foi no vestiário que falaram para todos que tínhamos de perder por três gols de diferença. Aí, no segundo tempo, o time praticamente ficou parado em campo – revela o atleta.

O jogador, que diz não ter aceitado a propina, identificou dois empresários como as pessoas que ofereceram os pagamentos. O GloboEsporte.com não vai citar os nomes enquanto não conseguir localizá-los para ouvir suas versões. A Polícia não confirma que os dois estão entre os investigados.

Segundo o jogador, a dupla de empresários normalmente oferecia ajuda financeira ao elenco. Porém, cinco atletas empresariados por eles já entravam em campo cientes do resultado que interessava aos apostadores.

– Eles até disseram que iriam acertar com os jogadores depois do jogo, mas alguns, como eu, foram embora e não quiseram receber. Cada jogador que não sabia do esquema recebeu R$ 200 depois do jogo. Os cinco que sabiam receberam mais de R$ 200 cada um, mas não sei dizer o valor exato. Esse negócio de dinheiro no futebol nunca vai acabar – disse o atleta.

O jogador ainda afirma que outra partida daquele campeonato, a derrota para o São Paulo também pelo placar de 9 a 0, também foi vendida pelos empresários ao grupo de apostadores. Nesse caso, porém, segundo o relato, o elenco foi avisado antes do começo da partida.

– Contra o São Paulo avisaram antes. Os cinco jogadores que correram contra o Santo André ficaram no banco de reservas. Falaram em dinheiro, mas depois sumiram. Difícil falar o que leva alguém a aceitar fazer isso – conta.

Em depoimento emocionado, o jogador revela os momentos de agonia que passou dentro de campo quando ouvia os gritos de seus familiares pedindo para que ele corresse e não desanimasse pelo resultado que acontecia dentro de campo. Mesmo diante de tudo isso, ele não pensa em desistir da carreira no futebol.

– Saí de campo chorando porque não é algo que eu gostaria de fazer. Eu fiquei desnorteado com tudo. Parece uma lenda, quando era criança eu ouvia que tinha essas coisas e não acreditava, mas agora sei que existe esse tipo de coisa no futebol.  Pensar em desistir eu não penso, vou correr até quando der e não vou desanimar – disse.

ENTENDA O MOTIVO DAS SUSPEITAS

O relatório de investigação dos 9 a 0 do Santo André sobre o Atlético Sorocaba, ao qual o GloboEsporte.com teve acesso, foi feito pela empresa Indexxdata, que trabalha em parceria com a Fifa. O documento destaca o placar “surpreendentemente alto” e descreve o cenário de que a partida foi jogada na primeira fase, com o Sorocaba sem chances de classificação.

Em seguida, o documento traz a investigação do jogo, apontando que o Santo André terminou o primeiro tempo vencendo por 1 a 0. Em 39 minutos, porém, marcou oito gols. Três jogadores do Sorocaba receberam cartões vermelhos, e o técnico também foi expulso.

Ainda de acordo com a investigação, o Atlético Sorocaba teria disputado a partida com jogadores Sub-17 e Sub-16. Jogadores Sub-20 estavam completamente ausentes.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.