Homem espanca ex-mulher, paga fiança e é liberado

A vítima sofreu diversas agressões físicas e foi expulsa do carro a chutes.

 

 

 

 

SÃO LUÍS – Na semana de combate ao feminicídio, mais um caso de violência contra a mulher foi registrado na capital na noite do último sábado (11). A vítima é a advogada Ludmila Rosa Ribeiro da Silva, de 27 anos, que foi espancada com socos e chutes. O suspeito é o ex-companheiro da advogada, Lúcio André Genésio, de 34 anos, irmão do prefeito do município de Pinheiro, Luciano Genésio.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, Ludmila teria saído para jantar com Lúcio na noite em que foi espancada. A princípio, os dois iriam se reconciliar, mas a noite terminou com violência e tentativa de atropelamento.

O casal jantava em um restaurante na Lagoa da Jansen, quando Lúcio teria pedido a conta e dito que levaria a vítima para a casa onde mora, na Cohama. Com ciúmes, o suspeito pediu que Ludmila lhe entregasse o celular, onde ele acreditava que ela teria conversas amorosas com outros homens.

Durante o caminho para casa, Ludmila sofreu seguidas agressões físicas, que lhe renderam hematomas e um olho roxo. Ela foi expulsa do carro a chutes.

O suspeito teria, ainda, tentado atropelar a vítima, mas foi detido por vizinhos, que o impediram e o renderam até a chegada da polícia.

O caso foi registrado no Plantão do Cohatrac na madrugada desse domingo (12). Lúcio André pagou fiança de R$ 4.685 e vai responder em liberdade pelo crime de violência doméstica.

O Alvará de Soltura foi concedido pelo Delegado Valber do Socorro Andrade Braga.

VIOLÊNCIA

Esta não é a primeira vez que Lúcio André é acusado de espancar a companheira. Em janeiro de 2016, um boletim de ocorrência registrado pela mesma vítima, a advogada Ludmila Rosa Ribeiro da Silva, apontava que Lúcio havia realizado outras agressões físicas graves. Na época, Ludmila estava grávida havia alguns meses, mas a gravidez não impediu a violência.

Na ocasião, a Polícia Militar do município de Pinheiro conduziu o agressor até a delegacia. No entanto, depois de algumas horas preso, Lúcio pagou fiança e novamente foi solto.

O número 180 da Central de Atendimento à Mulher é o canal criado para receber denúncias e orientar mulheres vítimas de violência.

FONTE: MA10

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.